Dividendos: Entenda o que são e como funcionam

1812
Dividendos: Entenda o que são e como funcionamo-funcionam
Dividendos: Entenda o que são e como funcionam

Se você está em busca de um investimento que pode te ajudar a aumentar seu patrimônio e viver de renda entender o que são dividendos e como eles funcionam pode ser uma mão na roda. 

Os dividendos permitem que você aproveite todo potencial dos juros compostos para fazer seu patrimônio crescer e ainda podem ser uma fonte de renda passiva se você deseja viver de renda. 

Veja neste artigo o que são dividendos e como eles funcionam para aprender como gerar mais renda com seus investimentos. 

O que é dividendo?

Os dividendos são uma parte do lucro que a empresa distribui aos acionistas como forma de remuneração.

Isso acontece porque o valor das ações que distribuem dividendos não costuma variar muito no mercado, assim, os proventos entram como uma forma de compensar os investidores que compram esses ativos. 

Nesse sentido, a empresa se beneficia por conseguir atrair mais investidores para suas ações, mas os investidores também saem ganhando. Afinal, o recebimento de dividendos é uma ótima maneira de gerar renda passiva no longo prazo. 

Como os dividendos são uma parte do lucro, em geral, as companhias mais rentáveis tendem a distribuir dividendos regularmente. 

Segundo a Lei das S/As as empresas listadas na Bolsa de Valores devem distribuir regularmente, pelo menos, 25% de seus lucros aos acionistas, mas esse valor pode variar de acordo com a estratégia de gestão da empresa. 

A empresa pode usar seu lucro para pagar dívidas, recomprar ações, financiar projetos de expansão ou pagar dividendos aos seus clientes. Ela pode ainda optar por mais de uma opção, por isso o percentual distribuído varia. 

É importante ressaltar, no entanto, que nem toda empresa listada na Bolsa de Valores distribui dividendos e, mesmo que aquelas que têm hábito de remunerar os acionistas, podem deixar de fazer o pagamento de dividendos em algum momento. 

Isso acontece porque os lucros das empresas varia ao longo do tempo o que pode aumentar, diminuir ou até zerar o pagamento de dividendos. 

Como funciona o pagamento de dividendos

Agora que você já sabe que o que são dividendos pode estar se perguntando: como funciona o pagamento de dividendos? Essa é uma dúvida muito comum, sobretudo para quem está começando. 

Em primeiro lugar, vale lembrar que os dividendos podem ser distribuídos, basicamente, de suas maneiras:

  • Em dinheiro – neste o valor dos dividendos pode ser definido como um valor fixo, por exemplo, R$ 0,50 por ação, ou como um percentual da ação, por exemplo, 3% do valor da ação em determinada data. 
  • Em ações – o pagamento dos dividendos em ações é realizado com ações adicionais. Por exemplo, a cada 100 ações, você receberá 2 ações. 

O pagamento de dividendos não tem periodicidade certa definida para todas as empresa. Essa decisão fica a critério da própria companhia. Algumas empresa pagam dividendos mensais, outras trimestrais ou semestrais, enfim. 

Porém, quando uma empresa resolve fazer o pagamento existe todo um processo por trás disso. 

Em primeiro lugar é necessário a aprovação do conselho administrativo para o pagamento. Para isso a empresa faz uma reunião periódica para ver se existe algum lucro para ser repassado aos acionistas. 

Definido o valor a ser distribuído, a empresa deve protocolar o processo na Comissão de Valores Mobiliários – CVM. Esse protocolo serve para informar os acionistas e demais interessados sobre a data do pagamento e outras datas importantes. 

A partir daí como o que chamamos no mercado de agenda de dividendos que possui um cronograma específico, que inclui:

  • Data de Declaração – data em que o conselho de administração informa que vai pagar dividendos. Em geral, a declaração de pagamento inclui algumas informações como valor do dividendo, data de registro e data de pagamento.
  • Data ex-dividendo (ex-data) – a data-ex é a primeira data em que a posse da ação já não garante mais o recebimento dos proventos. Por exemplo, imagine que a Itaúsa vai pagar dividendos e a data-ex é no 10 de outubro. 

Se você comprou uma ação até o dia 9 e permaneceu com ela até a virada para o dia 10, então você receberá dividendos. Já quem comprar a ação na data-ex, ou seja, no dia 10, não terá direito ao recebimento dos dividendos. 

Esse exemplo só é válido para pagamento em dinheiro, se o pagamento for feito em ações, aí o processo é um pouco diferente. Nesse caso, a data-ex é o primeiro dia útil depois do pagamento de dividendos. 

  • Data de Registro – a data de registro é o dia em que a empresa vai registrar todos os acionistas que têm direito ao recebimento de dividendos e enviar relatórios financeiros, procurações e outras informações. 
  • Data de Pagamento – a data do pagamento, como você já deve imaginar, é data em que a empresa vai realizar o pagamento de dividendos. 

Tipos de dividendos e proventos

Agora você já sabe o que são dividendos e como é feito o seu pagamento? Mas você sabia que não existe somente um único tipo de provento?

Se você não sabia, não se preocupe. Vamos falar agora dos diferentes tipos proventos pagos pelas empresas aos acionistas e como eles funcionam. 

Dividendos Especiais 

Os dividendos especiais são um tipo de pagamento extra que não estava prevista na agenda de distribuição de dividendos da empresa.

Normalmente, o valor distribuído, nesse caso, é proveniente situações extraordinários, como a venda de parte da empresa ou uma surpresa no registro de caixa. 

Juros sobre Capital Próprio 

Outra maneira que uma empresa tem de distribuir proventos aos seus acionistas é através dos Juros sobre Capital Próprio (JCP). 

Esse tipo de pagamento funciona quase da mesma maneira que os dividendos, porém, nesse caso, o investidor precisará pagar 15% de imposto de renda que é retido diretamente na fonte. 

A empresa que paga JCP tem isenção fiscal, por isso o pagamento de JCP pode ser maior do que a distribuição de dividendos. 

Direito de Subscrição 

Quando uma empresa resolve fazer uma nova oferta de ações no mercado, ela pode oferecer aos acionistas, como bônus, o direito de comprar os ativos, antes mesmo do mercado. 

Em muito caso, inclusive, o valor da ação com o direito de subscrição pode ser menor do que o valor de mercado do ativo. 

Como calcular os dividendos

O valor que você vai receber em dividendos é proporcional o tanto de ações que você possui, assim, quanto maior o número de ações, maior o montante recebido em dividendos. 

Para calcular os dividendos basta multiplicar o valor que a empresa distribuirá por ação pelo número de ações que você possui até a data-ex.

Por exemplo, se a Engie (EGIE3) vai distribuir R$ 1,50 por ação e você possui 200 ações, então você receberá R$ 300. 

  • Quantidade ações: 200
  • Valor dos dividendos: R$ 1,50
  • Valor que você vai receber: 200 x 1,50 = 300

Agora vamos imaginar um caso em o valor distribuído será um percentual do valor da ação. Para ilustrar, vamos supor você tenha 300 ações da Petrobras que vai pagar 2% do valor da ação em dividendos, sendo que a ação estava sendo negociada por R$ 30 e você. 

Para achar o valor, nesse caso basta fazer o seguinte cálculo:

2% x 30 x 300 = 180

  • Percentual por ação: 2%
  • Valor da ação: R$ 30
  • Quantidade de Ações: 300
  • Valor que você receberá, nesse exemplo: R$ 180

O que é como calcular o Dividend Yield

Quando falamos de dividendos, um conceito muito importante é o Dividend Yield (DY). Por isso entender o que é o DY e como calcular esse indicador por ser muito importante.

O DY  mede a relação entre os dividendos pagos por uma empresa nos últimos 12 meses e o preço da ação. 

Portanto, para calcular o DY de uma empresa, basta dividir o valor dos dividendos pagos nos últimos 12 meses pelo preço da atual da ação e depois multiplicar por 100 para achar o valor em percentual. 

Veja a fórmula para calcular o DY:

Dividend Yield =dividendos pagos por ação nos últimos 12 meses valor unitário da ação x 100

Então, por exemplo, imagine uma empresa que pagou R$ 1 de dividendos nos últimos 12 meses e hoje o valor dessa ação é de R$ 10. Logo o DY dessa empresa será de 10%. Fácil, não é mesmo?

Como o DY mostra a relação entre os o valor pago em dividendos e o valor da ação, ele é um dos indicadores mais importantes usados pelos investidores que possuem foco no recebimento de dividendos. 

Mas é importante ter em mente, que esse indicador não deve ser avaliado sozinho. 

Como montar carteira e Investir em dividendos em seis passos fáceis

Se você está pensando em investir em dividendos, mas não sabe como fazer isso, vamos te dar algumas dicas. Veja seis passos fáceis de como investir em dividendos para obter renda

Passo 1. Faça uma boa análise da empresa

Como dissemos, as empresas que tendem a pagar dividendos regularmente são aquelas que costumam apresentar bons resultados financeiros, afinal, os dividendos são uma parte do lucro. 

Por isso, estude sobre a situação financeira da empresa e se ela costuma gerar lucro para seus acionistas. 

Passo 2. Esteja atento às datas de pagamento de dividendos da empresas

Se você está pensando em investir com foco em dividendos fique sempre atento às datas de pagamentos das empresas. 

Como dissemos antes, algumas empresas pagam dividendos mensais, enquantos outras pagam dividendos anuais, ou trimestrais, enfim, cada empresa tem sua política. 

Ficar atento a essas datas vai te ajudar a montar sua carteira de maneira adequada ao seu perfil, inclusive você poderá receber dividendos mensalmente

Passo 3. Conheça o histórico de pagamento da empresa

Outro passo fundamental para quem deseja investir em dividendos é estudar o histórico de pagamento da empresa. Em primeiro lugar, vamos lembrar que os ganhos passados não são garantia de ganhos no futuro, isso, é claro, também vale para os dividendos. 

Mas isso não significa que você não pode usar o histórico de pagamento de dividendos a seus favor. 

Por isso, faça uma boa análise do histórico da empresa, veja quanto costuma ser o DY dela, quando ela geralmente faz os pagamentos, entre outras coisas. O ideal aqui é analisar os últimos cinco ano da empresa para ter resultados mais persistentes. 

Se uma, por exemplo, paga muito em um ano e no outro não paga nada. Pode ser que ela não seja uma boa opção. 

Passo 4 . Monte sua carteira com foco no longo prazo

Se você está planejando montar uma carteira de dividendos, saiba que deve fazer isso com foco no longo prazo. 

O investidor que planeja receber dividendos no longo prazo não deve ficar preocupado com as oscilações de curto prazo da ação, afinal o foco principal é receber dividendos e não em ganhar dinheiro com as variações nos preços dos ativos. 

Por isso, monte sua carteira e evite acompanhar o mercado todo para tomar decisões precipitadas, mas faça um acompanhamento periódico e se for necessário realize mudanças. 

5. Selecione entre cinco e oito ações para compor sua carteira

A carteira de dividendos não precisa de muitos ativos, uma quantidade entre cinco ou oito ativos é o suficiente, afinal você vai precisar conhecer muito bem cada um desses ativos e fazer uma revisão sobre eles sempre que for necessária. 

É possível viver renda com dividendos?

Uma das dúvidas mais comuns para quem pensa em investir em dividendos é se é possível viver de renda com dividendos. A resposta para essa questão é sim, mas isso vai depender de qual padrão de vida você pretende levar e quanto vai investir para isso. 

Montando uma carteira de dividendos equilibrada com bons ativos e unindo isso a muito foco e disciplina, possivelmente você conseguirá obter no futuro uma renda passiva suficiente para viver de dividendos. 

Por isso, certifique-se de escolher sempre os melhores ativos para compor sua carteira de dividendos e reinvista os dividendos recebidos. Essa pode ser a maior sacada desse tipo de investimento. 

Ao reinvestir seus dividendos em ações você aproveita todo potencial do juros compostos que tem o poder de fazer seu dinheiro render muito mais longo prazo, assim, vai ficar mais fácil atingir os seus objetivos. 

Conclusão – Vale a Pena Investir em Dividendos?

Se você ainda está em dúvida de vale a pena investir em dividendos a resposta é: SIM!

Investir com foco em dividendos é uma ótima forma de acumular capital no longo prazo para conseguir viver de renda e mesmo depois disso você ainda pode fazer seu capital continuar crescendo. 

Portanto, se você está pensando em gerar renda passiva para a sua liberdade financeira, deve começar pensar em investir em dividendos agora mesmo. 

Se você já faz isso, conte para mim como está sendo sua experiência e se, por outro lado, você ainda não começou a investir em dividendos deixe nos comentários o motivo, quem sabe eu não tenho uma dica para te ajudar a dar o primeiro passo rumo a sua independência financeira.