Como ganhar até 30% ao ano investindo na bolsa mesmo sem conhecer nada

904
Na bolsa é possível ganhar até 30% ao ano investindo mesmo sem conhecer nada do Mercado de Ações (Fundos de ações).
Na bolsa é possível ganhar até 30% ao ano investindo mesmo sem conhecer nada do Mercado de Ações (Fundos de ações).

A Bolsa de Valores é o investimento com maior potencial de rentabilidade disponível no mercado, mesmo assim, os investidores que têm algum tipo de aplicação na Bolsa ainda são a minoria. 

Segundos dados da B3, o número de investidores na Bolsa em setembro de 2019 somou 1,3 milhões de pessoas, o que representa menos de 1% da população da Brasileira. 

Mas se a Bolsa é um investimento tão bom por que as pessoas não investem nela?

Existem muitas respostas para essa pergunta. 

Em primeiro lugar, devemos destacar os maus hábitos dos brasileiros quando se trata de planejamento financeiro e investimento. 

Isso faz com que a maioria de nós não tenha nenhum tipo de investimento e quanto tem, seja uma péssima opção. 

A cada 10 brasileiros que investem em algum tipo de produto financeiro, 9 aplicam seu dinheiro na poupança, o pior dos investimentos. 

Aliás, a poupança é um investimento tão ultrapassado que, em alguns casos, além de não render quase nada, ainda pode te fazer ter prejuízo, por conta dos efeitos da inflação.

Acontece que por não ter muito conhecimento, a maior parte das pessoas acaba aplicando seu dinheiro em opções que parecem mais fáceis e práticas ou que são empurradas goela abaixo pelos gerentes dos Bancos

Além disso, muita gente ainda conserva a visão de que a Bolsa de Valores é coisa de outro mundo. Um tipo de investimento difícil e pouco acessível para os investidores comuns. 

Essa é uma visão completamente errada, que pode estar te impedindo de ganhar dinheiro. 

Por isso, está na hora de mudar seus hábitos de investimento e começar a ganhar dinheiro. 

Vamos te mostrar que mesmo não sendo um expert no assunto, é possível fazer bons investimento e conseguir fazer o dinheiro render.

O que é a Bolsa de Valores e como funciona?

A Bolsa de Valores é o ambiente onde são negociados títulos e valores mobiliários, como as ações, contratos futuros de dólar e índices, entre outros. 

O objetivo da Bolsa é oferecer um local seguro e eficiente onde os investidores possam negociar seus títulos e ações. 

Dessa maneira, ela funciona como ponto de encontro entre os investidores que querem comprar e vender seus papéis.

A melhor parte, é que você não precisa sair de casa para operar na Bolsa de Valores. É possível realizar operações de qualquer usando a internet, através do Home Broker da sua corretora. 

Contudo, existem horários específicos para negociação de cada tipo de título na Bolsa. 

Confira os horários de negociações: 

Ações 

  • Pré-Abertura: 9:45 – 10:00
  • Negociação: 10:00 – 17:00
  • Call de fechamento : 16:55 – 17:00
  • After Merket: 17:30 – 18:00

Futuro de Commodities 

  • Negociação: 09:00 – 16:00
  • Call de fechamento : 15:55 – 16:00
  • After Merket: 15:30 – 18:00

Futuro de Dólar 

  • Pré-Abertura: 8:55 – 9:00
  • Negociação: 09:00 – 18:00
  • Call de fechamento : 17:55 – 18:00

Futuro de Índices

  • Pré-Abertura: 8:55 – 9:00
  • Negociação: 09:00 – 17:55
  • Call de fechamento : 17:50 – 17:55

Opções de ações

  • Pré-Abertura: 9:45 – 10:00
  • Negociação: 10:00 – 16:55
  • Call de fechamento : 16:50 – 16:55

Cada um desses horário tem objetivos distintos, o que pode parecer meio confuso, mas na verdade é bem simples. 

Pré-abertura

A pré abertura é um leilão que acontece antes da Bolsa abrir, ou seja, antes do período de negociação. 

Se você quiser comprar ou vender um ativo pelo preço de abertura pode enviar a ordem na pré-abertura. Contudo, a transação só é efetivada quando o mercado abre para negociação. 

Se você enviar uma ordem e ela fizer parte do preço de abertura, não será possível cancelar. 

No leilão de pré-abertura são definidos os preço de abertura dos papéis. 

Call de Fechamento

O Call de fechamento tem duração de somente cinco minutos, que ocorrem imediatamente ao fechamento do período de negociações. 

Durante o call de fechamento só possível negociar os ativos que fazem parte de algum índice da Bolsa. 

After Market

o After Market é um horário extra de negociações. Ele permite que os investidores que não puderam acompanhar as negociações realizem operações após o período de negociações normal. Contudo, só podem ser negociados no After Market ações que compõem o Índice Bovespa, e o limite para oscilação é 2% para mais ou para menos.

Por que as pessoas não investem na Bolsa?

Mesmo a Bolsa sendo o investimento com maior potencial de retorno do mercado nacional, uma parte mínima dos brasileiros costumam investir nela.

O principal motivo é a falta de conhecimento dos brasileiros ao que se refere ao mundos das finanças e investimentos. 

Muitas pessoas ainda acreditam que investir na Bolsa é algo completamente difícil, ou que esse tipo de investimento só é possível para pessoas com poder aquisitivo muito alto. 

Mas basta estudar um pouquinho para descobrir que isso não é verdade. 

Realmente os investimentos em renda variável não são uma coisa trivial e merecem um pouco de atenção. 

Porém, existem meios para resolver essas questões e você pode contar com a ajuda de um assessor especializado dependendo de como vai fazer seus investimentos. 

Por fim, vale ressaltar que a Bolsa é também um dos investimentos mais acessíveis que existem. Você pode, por exemplo, comprar uma ação e começar a investir com menos de R$ 5 reais. 

Sim, isso é possível. É claro que o preço de uma ação não é o único fator importante que você deve considerar na hora de investir. 

Mesmo assim, você pode encontrar opções muito boa no mercado, bem abaixo dos R$ 30.

Perfil do Brasileiro

Mesmo sendo um mercado acessível, menos de 1% dos brasileiros têm algum tipo de aplicação na Bolsa. 

Na realidade, além dos problemas com finanças, os brasileiros entendem muito pouco sobre os investimento. 

Segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados de Financeiro e de Capitais), em 2018 apenas 33% dos brasileiros conseguiam guardar algum dinheiro e desse percentual, apenas 48% tinham algum tipo de aplicação financeira

Dentre os 48% dos 33% que disseram ter algum tipo de aplicação, 88% aplicaram o dinheiro na poupança, que é o pior dos investimento disponível no mercado. 

Atualmente, o rendimento da poupança é de 3,85% ao ano, ou seja, se você aplicar R$ 1.000 na poupança, um ano depois vai resgatar R$ 1.038,50. 

Muito pouco, não é mesmo? Mas pode ficar pior.

Esses R$ 38,50 compõem o rendimento bruto da aplicação, contudo para saber quanto você realmente ganhou é preciso descontar o efeito da inflação. 

A inflação, atualmente, está em torno de 3,43%, o que faz com o que rendimento líquido da poupança seja de 0,42% ao ano. 

Ou seja, se você aplicar R$ 1.000 na poupança, vai conseguir em um ano, um rendimento líquido de R$ 4,20. Esse é um resultado péssimo, concorda?

Pois é, por isso, quanto mais cedo você aprender a controlar suas finanças e seus investimentos, mais rápido vai conseguir alcançar seus objetivos financeiros. 

Para fazer isso a primeira dica: saia do seu banco!

Os vilões do investimento no Brasil

Isso pode parecer meio estranho, mas os bancos são os principais vilões dos investimentos dos investidores no Brasil e eu vou te explicar o porquê. 

O mercado de investimento do Brasil está sob domínio dos bancos, aliás dos cinco maiores bancos: Itaú, Santander, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa. 

São eles que, juntos, controlam mais ou menos, 80% do mercado. Ou seja, a cada R$ 100 que são movimentados na economia, R$ 80 passam por alguma dessas instituições. 

Isso faz com que o Brasil tenha uma das maiores concentrações bancárias do mundo. Em países mais desenvolvidos como os Estados Unidos por exemplo, esse percentual fica abaixo de 50%. 

Diante dessa concentração, cerca de 90% dos investimentos são realizados através do Bancos, que não são nem de perto as instituições com as melhores opções de investimento, principalmente se você é um pequeno investidor.

Na maior parte dos casos, os investimentos indicados pelos gerentes dos bancos incluem: poupança, títulos de capitalização, consórcios, entre outros. 

Todos esses produtos, não são opções rentáveis de investimento para os clientes. 

Se você possui dinheiro aplicado nesses tipos de investimentos, saiba que está perdendo dinheiro e por isso, deveria mudar agora mesmo seus hábitos e procurar opções mais vantajosas para você, como a Bolsa de Valores.

Por que a vale pena Investir na Bolsa de Valores (vantagens)

A Bolsa de Valores é sem dúvida um dos melhores investimentos. Ela é o que tem maior potencial ganho no mercado, mas isso não é a única vantagem para quem aplica na Bolsa. 

Conheça algumas outras vantagens da Bolsa de Valores

Possibilidade de investir com pouco dinheiro

Na bolsa de valores não existe um valor mínimo para o investimento. Por isso, você não precisa de um valor mínimo  para começar seus investimentos ou fazer aportes. 

Dessa maneira, você pode começar investindo a quantia que conseguir poupar, sem ter que apertar demais o orçamento. 

Para você ter uma ideia, com pouco mais de R$ 33 você pode comprar uma ação do Banco Itaú (ITUB4) e se tornar sócio do maior banco do Brasil. 

Com menos do que isso, cerca de R$ 27, você pode comprar ações da Petrobras (PETR4)

Se preferir pode economizar o dinheiro de duas cervejas no bar, aí já é possível comprar uma ação da Ambev (ABEV3), que custa em torno de 18,58. 

Enfim, a Bolsa está recheada de opções e basta dar uma olhada para encontrar boas opções, que custam menos de R$ 50, R$ 30,  R$ 10, o que torna esse investimento bastante acessível para todos os investidores.

Comodidade

Para investir na Bolsa de Valores você não precisa despender muito tempo nem se deslocar de um lugar para outro. Você pode investir sem sair do seu sofá, usando o Home Broker da sua corretora de investimentos.

Para isso basta abrir conta em uma corretora de valores, transferir dinheiro para ela e começar a operar. Fácil não é?  

Maior Retorno

Como dissemos, a Bolsa de Valores é o investimento com maior potencial de ganhos. 

Para você ter uma ideia, em 2018, o Ibovespa (indicador que mede o desempenho médio das ações da Bolsa) cresceu 15,0% enquanto o CDI, benchmark da renda fixa, exibiu um retorno de 6,5%. 

Ou seja, a Bolsa rendeu mais de duas vezes a renda fixa no Brasil no ano passado. 

Além disso, com a taxa básica de juros, Selic, cada vez menor, a tendência é de que a renda fixa exiba rentabilidade cada vez maiores, o que pode aumentar o hiato entre as duas aplicações. 

Sem prazo de carência para o resgate da aplicação

Um das maiores vantagens da Poupança, investimento preferido dos brasileiros, é a liquidez. Mas a Bolsa de Valores não fica tão atrás desse investimento. 

Na Bolsa você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento. Para isso, basta acessar seu Home Broker e vender sua ações. 

As transações, no entanto, só são concluída em D+2. Ou seja, o dinheiro da venda só ficará disponível na sua conta na corretora dois depois que você realizar a transação. 

Mesmo assim, é um tempo considerado curto e se levarmos em consideração o potencial de retorno, pode valer muito a pena. 

Além disso, mesmo que você possa vender seus títulos a qualquer momento, isso só será possível a preço de mercado. Assim, a venda dos ativos está sujeita às condições do mercado, que podem resultar em perdas ou ganhos. 

Por isso, o ideal é aplicar na Bolsa uma quantia que possa ficar investida por mais tempo, dois anos, por exemplo. 

Rentabilidade Bolsa de Valores

Nos últimos 10 anos, entre 2009 e 2018, o desempenho médio do Ibovespa foi de mais de 12% ao ano, exibindo retorno muito maior do que outras aplicações financeiras do Período. 

O CDI, por exemplo, exibiu retorno de 10% ao ano no mesmo período. 

Com as mudanças da economia, marcada pela Taxa Selic a níveis cada vez mais baixos, a tendência é de que a renda fixa passe a exibir retornos cada vez menores. 

Nesse cenário, enquanto o Ibovespa acumulou entre janeiro e setembro de 2019, um retorno de 15,09%, o CDI rendeu 5,18%, um pouco mais de um terço do rendimento da Bolsa. 

Vale a Pena Investir na Bolsa hoje?

As mudanças no cenário político e econômico em 2019 deixaram os investidores animados. 

Nesse cenário, a Bolsa de Valores superou o patamar histórico de 100 mil pontos e esse pode ser só o começo de um período bastante positivo para quem tem aplicações nesse mercado. 

A aprovação da reforma da previdência e continuação dos planos do governo, com possibilidade de reformas também no campo tributário e administrativo, garantem perspectivas continuação no desempenho da Bolsa de Valores. 

Contudo, naturalmente, depois de ultrapassar os 100 mil pontos, a tendência é de que a performance continue de maneira menos acelerada, mas positivamente. 

Além disso, considerando as projeções cada vez menores para a Selic o que impacta diretamente no rendimento da renda fixa, os investimentos na Bolsa de Valores podem se tornar cada vez mais interessantes. 

Contudo é importante ressaltar que esse tipo de investimento está sujeito ao risco, que nesse momento fica mais evidenciado pelo cenário externo. 

Algumas grandes economia mundial tem apresentado desaceleração nos resultados o que indica que uma recessão pode estar por vir. 

Nesse sentido, uma boa dica para diluir os riscos é manter uma carteira diversificada de investimentos, fazendo aplicações conforme seu perfil de investidor. 

De qualquer maneira, acreditamos que a Bolsa de Valores ainda tem um bom potencial de valorização, no médio longo prazo e é aí que devem estar concentrados os objetivos dos investidores.

Como Investir no mercado de ações

Investir na Bolsa de Valores pode não ser uma tarefa fácil, sobretudo, se você estiver começando agora. 

Mas existem alguns passos, que você pode seguir para começar seus investimentos de maneira mais fácil e inteligente. 

Escolher uma corretora

Certamente você vai encontrar melhores opções em uma corretora do que no seu banco. 

Portanto, o primeiro passo para começar a investir em ações é escolher uma corretora de valores independente para chamar de sua. 

Na hora de escolher sua corretora você deve avaliar com cautela alguns pontos importantes como:

  • Credibilidade no mercado 
  • Custos
  • Atendimento
  • Serviços
  • Qualidade das plataformas e Home Broker

Isso vai ter ajudar a escolher a melhor corretora, aquela oferece os produtos e serviços mais adequados para as suas necessidades. 

Por isso é muito importante ficar de olho na qualidade do atendimento e também nas plataformas de investimento, sobretudo se você está começando agora a investir. 

O apoio da corretora nesse momento é muito importante para o sucesso dos seus investimentos. 

Nesse sentido, avalie também se a corretora oferece serviços e materiais educacionais que podem te ajudar a escolher os melhores produtos para o seu perfil de investidor. 

Feito isso, você pode abrir conta na corretora para começar a investir. 

Mas enquanto você ainda não decidiu onde vai aplicar, pode testar todos os recursos da corretora, incluindo o Home Broker. Isso vai ser muito útil na hora de fazer a aplicação. 

Defina seus objetivos e estratégia

Antes de investir na Bolsa de Valores você precisa fazer uma avaliação sobre quais são os seus objetivos. 

Não é preciso ser nada muito mirabolante, mas você precisa saber se o foco é juntar dinheiro, receber um valor mensal, enfim.

A partir daí, você pode escolher qual estratégia vai usar para chegar ao seu objetivo financeiro.

Na Bolsa de Valores existem muitas estratégias que você pode usar para ganhar dinheiro. 

Você pode, por exemplo, fazer operações de curto e curtíssimo prazo, comprando e vendendo ações no mesmo dia ou com diferença de poucos dias, os famosos day trade e swing trade.

Essa operações, no entanto, são geralmente mais arriscadas, por isso são menos indicadas para investidores inexperientes. 

Outra opção é optar por uma estratégia de prazo mais longo com foco em dividendos para receber uma renda extra. 

A estratégia que você escolher precisa ser conivente com seus objetivos e também com o seu perfil, ou seja, grau de tolerância ao risco, conhecimento, quantidade de dinheiro para aplicação, entre outras coisas.

Escolha suas ações 

Você já sabe que quer aplicar no mercado de ações, já escolheu sua corretora e sabe qual seu objetivo? Ótimo, agora falta escolher em quais ações você vai investir. 

Esse é um passo importante e que nem sempre é fácil. Na hora de escolher suas ações você deve fazer uma avaliação importante sobre a empresa, o setor de atuação, cenário no qual está inserida, preços, entre outros fatores. 

Para te ajudar a escolher as melhores ações para o seu perfil e até te ajudar a traçar uma estratégia interessante para seus objetivos, você pode ter ajuda de um assessor de investimento

O assessor de investimento independente é um profissional especializado que tem como objetivo principal te ajudar a alcançar os seus objetivos financeiros.

Esses profissionais não são ligados à nenhuma empresa ou banco específico, por isso ficam mais livres para te oferecer as melhores opções. 

Se você quiser mais sobre o assessor de investimento, e como funciona o trabalho desse profissional, leia o artigo que preparamos para você sobre o tema.

Se você quiser tudo em lugar só, qualidade, praticidade, segurança e assessoria, uma boa dica pode ser escolher a XP Investimentos

A maior corretora de valores do Brasil, oferece aos clientes 4 tipos de assessorias diferenciadas especializadas, além de uma plataforma completa com os mais variados produtos financeiros para você fazer as melhores escolhas. 

Invista 

Depois de escolher seus papéis está na hora de investir. Essa é a parte é bem simples. Você só precisa entrar no Home Broker da sua corretora e lançar as ordens de compra e venda de acordo com sua estratégia. 

Uma dica aqui é: tente não acompanhar o mercado o tempo todo. As oscilações do mercado podem atrapalhar seu julgamento e te levar a cometer erros. 

Por isso, tente evitar acompanhar o desempenho das suas ações o tempo todo. 

Faça uma avaliação periódica e realize mudanças se for necessário. 

Conclusão

A Bolsa de Valores é o investimento mais rentável no mercado nacional, mesmo assim o número de investidores na Bolsa ainda representa menos de 1% dos brasileiros.

Isso pode ser explicado pela relação pouco saudável que a população tem com o dinheiro e com os investimentos.

Segundo levantamento da Anbima, menos da metade dos brasileiros conseguem poupar dinheiro e dentre os que conseguem fazer isso, menos da metade investem em algum produto financeiro.

Dentre aqueles que investem, 9 a cada 10, têm dinheiro investido na poupança, a pior aplicação do mercado. 

Isso porque a poupança é tida como um investimento seguro e fácil. 

Mas pouco gente sabe que ao investir na poupança está perdendo dinheiro, e existem muitas outras opções no mercado que podem ser tão acessíveis quanto a caderneta de poupança.

Para muitas pessoas a Bolsa de Valores ainda parece ser um tipo de investimento muito sofisticado e distante da realidade. 

Mas isso não é verdade. A Bolsa de Valores é um espaço bastante democrático e acessível para qualquer tipo de investidor. 

Não há investimento mínimo na Bolsa, portanto ela está disponível para investidores de todas as classes. 

Além disso, também não há período de mínimo de carência para resgatar o seu dinheiro, assim você não fica de mãos atadas caso precise reaver seu investimento rápido. 

Por isso, você deveria começar agora mesmo começar a investir na Bolsa de Valores. 

Montando uma carteira adequada, com ajuda de um assessor, se tiver dificuldade, você pode conseguir até 30% ao ano investindo na Bolsa de Valores, mesmo sem ter muito conhecimento sobre o mercado de ações.