Quanto rende R$ 1 milhão na poupança? 

Vale a pena deixar seu dinheiro aplicado na Poupança?

A poupança ainda hoje é o investimento mais comum entre os brasileiros, mesmo sendo uma das piores opções do mercado. 

Isso acontece por muitos fatores, mas o principal deles é a falta de conhecimento dos investidores.

A boa notícia é que de alguns tempos para cá, as coisas vêm mudando, mesmo que a passos lentos. A popularização dos celulares e aplicativos revolucionaram o modo de investir e abriram novas oportunidades para aplicar nosso dinheiro.

Mas ainda há muita coisa que precisa ser melhorada. Falaremos neste texto sobre o rendimentos da poupança. 

Afinal, você sabe quanto rende R$ 1 milhão aplicado na poupança? 

Vamos responder essa pergunta e também te apresentar outros investimentos práticos, seguros e líquidos, que você pode usar como alternativa à poupança

Como funciona a Poupança e qual sua rentabilidade?

A poupança é uma das modalidades mais simples e fáceis de investimento disponíveis no mercado, e também uma das piores. 

Qualquer pessoa pode ter uma conta poupança, para isso basta ir até uma agência de um banco qualquer e abrir uma conta poupança.

Você não precisa ser correntista do banco, comprovar renda e nem pagar taxas para abrir uma conta dessa modalidade. 

Uma vez que você abriu sua conta já pode começar começar a investir. 

Além disso, não um valor mínimo para o investimento e o dinheiro aplicado pode ser resgatado a qualquer momento. 

Apesar de todas essas vantagens, como dissemos, a poupança não é um bom investimento, isso por conta, principalmente, do seu rendimento pífio. 

Aliás, em alguns casos o rendimento da poupança pode ser tão baixo, que não é nem capaz de cobrir o efeito da inflação. Nesse cenário, ao invés de ganhar dinheiro, você vai estar perdendo. 

Outro ponto muito importante sobre a poupança e que muitos investidores desconhecem é a data de aniversário.

O rendimento da poupança, como você deve saber, é mensal, ou seja, ela não possui rendimento líquido diário, como outros investimentos. 

Para receber o rendimento da sua aplicação, o dinheiro deve permanecer investido investido até completar 30 dias.

Caso você faça um resgate antes deste tempo, perderá toda a rentabilidade do período, mesmo que a retirada ocorra após 29 dias após o aporte.

Nesse sentido, é preciso ficar bastante atento a data de aniversário da sua poupança. Ele pode a data da aplicação ou a data de abertura da conta. 

Se você fizer várias aplicações no mês, sua poupança pode ter várias datas de aniversário. 

Qual a Rentabilidade da Poupança em 2019?

O rendimento da poupança depende basicamente de duas taxas, a taxa básica de juros da economia, Taxa Selic e a Taxa Referencial (TR), que é igual a zero desde o segundo semestre de 2017.

O modelo de cálculo, no entanto, pode variar. Desde o 2012, o governo decidiu que o rendimento da poupança ocorreria em dois cenário. 

  1. Selic acima de 8,5% ao ano.: Neste caso, a rentabilidade da poupança será de 0,5% ao mês mais a TR;
  2. Selic igual ou menor a 8,5% ao ano: Neste cenário, a rentabilidade da poupança será 70% da Selic mais a TR.

Atualmente, o valor é de 5,5% ao ano, isso quer dizer que o cálculo do rendimento da poupança segue o segundo cenário. 

Ou seja, 70% da Taxa Selic + Taxa Referencial

Dessa forma, o rendimento da poupança hoje é de 70% x 5,5% + 0 e isso é igual 3,85% ao ano. 

É importante lembrar que existem expectativas para a Taxa Selic caia ainda mais em 2019, fechando o ano em algo em torno de 5%. 

Se isso acontecer, um novo cálculo para o rendimento da poupança deverá ser feito. 

Qual o rendimento mensal da poupança?

Para saber qual o rendimento mensal da poupança, basta dividir o valor total da rentabilidade (3,85%) por dozer. 

Fazendo isso, você vai encontrar um valor de 0,32%. Esse é o rendimento mensal da poupança em 2019.

Quanto rende R$ 1 milhão aplicado na Poupança?

Como vimos, o rendimento anual da poupança é de 3,85%. Portanto, se você fizer um investimento de R$ 1 milhão na poupança, receberá depois de um ano o total de R$ 1.038.500. 

Para um investimento tão alto desse jeito, o retorno é pouco atrativo, você concorda? 

O pior é que esse resultado não líquido, ou seja, não considera o efeito da inflação

Atualmente a inflação está em torno de 2,89% ao ano. Portanto, o rendimento líquido da poupança é de 0,96%. 

Assim, um investimento de R$ 1 milhão poupança, aplicado por um ano, vai ter um rendimento líquido de R$ 9.600. Isso é menos do que R$ 1.000 por mês. 

Investimentos seguros mais rentáveis do que a poupança:

Mas nem tudo é desespero, caro investidor.

No mercado financeiro, existem várias opções de investimentos que oferecem as mesmas vantagens da poupança, além de maior rentabilidade e com rendimento diária. 

Conheça algumas dessas opções

Títulos do Tesouro Direto

A primeira opção, são os bastante famosos títulos do Tesouro. 

Esses ativos são assegurados pelo Tesouro Nacional, isso significava que o risco é nulo, ou melhor dizendo é apenas estatístico e não prático. 

As prateleiras do Tesouro Direto contam com várias opções de títulos que podem ser:

  • Prefixados – nesse caso o rendimento é baseado em uma taxa fixada no momento da aplicação. Assim, no momento da aplicação, você pode saber exatamente qual será o retorno do seu investimento. 
  • Pós-fixados – os títulos pós-fixados têm suas rentabilidade atrelada a algum indicador, nesse caso a Taxa Selic, dessa forma, não pra saber exatamente qual será o seu retorno, mas dá para ter uma boa base, uma vez que os movimento da Taxa Selic são previsíveis. 
  • Híbridos – esse tipo de título tem parte de seu rendimento prefixado, e outra parte atrelada a um indicado, nesse caso o IPCA. Esse é o único título do Tesouro Direto com rendimento líquido, pois a inflação está embutida no preço

Se você quiser mais sobre os títulos do Tesouro Direto e como investir no programa, pode dar uma olhadinha no artigo que preparamos para você sobre o tema

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos pelos pelos bancos com o intuito de levantar capital para financiar suas próprias atividades. 

Esses títulos também podem ser prefixados ou pós-fixados, a depender do banco emissor.

Uma vantagem desses títulos é que eles estão presentes em abundância no mercado, quase todo banco comercializa CDBs, por isso você pode encontrar opções com os mais diferentes prazos e rentabilidade. 

Para garantir a segurança , esses títulos são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores de até R$ 250 mil por CPF, por instituição.      

É importante ressaltar, entretanto, que tanto o Tesouro Direto, quanto os CDBs estão sujeitos à tributação do Imposto de renda que acompanha a seguinte tabela regressiva:

  • 22,5%: até 180 dias
  • 20,0%: de 181 a 360 dias
  • 17,5%: de 361 a 720 dias
  • 15,0%: acima de 720 dias 

Mesmo com o Imposto de Renda, o resultado dessas aplicações ainda é, na maioria da vezes, superior aos resultados da poupança. 

É possível viver de renda com R$ 1 milhão? Onde investir?

A resposta para essa pergunta é: depende!

Você pode sim, conseguir viver de renda com um investimento de R$ 1 milhão, mas isso vai depender de quanto você considera um valor razoável para viver e onde você vai aplicar esse dinheiro.

Um investidor deve procurar sempre diversificar sua carteira para conseguir diminuir os riscos dos investimentos e garantir uma boa rentabilidade.

Além da já conhecida renda fixa, adicionar aos seus investimentos ações e outros ativos de renda variável pode ser interessante. 

Na hora de montar sua carteira você deve considerar o seu perfil de investidor e os seus objetivos. É muito importante que sua carteira seja adequada às suas necessidades para um resultado melhor.