Você sabe qual o melhor CDB para investir? Esse tipo de renda fixa pode ser uma opção interessante para os mais diferentes tipos de investidor, porém é preciso saber o melhor título para garantir bons resultados.

Os CDBs são títulos bem comuns no mercado, pois quase todos os bancos comercializam esse tipo de produto. 

Assim, você pode encontrar diversas opções, com os mais variados modelos de rentabilidade e segurança. 

Resumidamente, os títulos mais seguros são aqueles disponibilizados por instituições maiores, que têm menor risco atrelado. Por outro lado, os CDBs de bancos menores podem ter rentabilidade maior. 

O que é e como funciona o CDB?

Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos pelos bancos com a finalidade de atrair capital para financiamento das atividades do emissor como empréstimos, financiamentos, crédito consignado, entre outros. 

Dessa forma, ao investir em um CDB você está emprestando dinheiro para o banco emissor do título, para que ele possa seguir suas atividades normais. 

Além de financiar as atividades rotineiras, O banco também pode usar os recursos provenientes do CDBs para cobrir suas obrigações financeiras ou usar como capital de giro. 

Como prêmio pelo empréstimo que você fez, o banco se compromete, ao final do prazo do aplicação, devolver o dinheiro investido acrescido de juros. 

O modelo de rentabilidade é definido pelo próprio emissor, assim como os prazo de vigência mínimo e máximo do título. 

As condições de liquidez do CDB também são estabelecidas, em contrato, pelo banco que emitiu o título. 

Alguns CDBs contam com liquidez diária desde o início, enquanto outros podem passar por um prazo de carência antes de terem liquidez diária. 

Por fim, existem alguns títulos que só podem ser resgatados na data de vencimento do investimento. 

Por isso, na hora de escolher o melhor CDB é muito importante conhecer bem seus as suas características para garantir que o investimentos seja o mais adequado. 

Quanto rende um CDB?

As condições de rentabilidade de um CDB são definidas pelo banco emissor e podem ter rendimento prefixado ou pós-fixado. 

Os títulos prefixados têm sua rentabilidade definida por percentual, que é acertado no momento do investimento. 

Nesses casos, no momento da aplicação, você sabe exatamente qual será o retorno do seu investimento. 

Já os títulos pós-fixados tem sua rentabilidade atrelada a algum indicador, mais comumente o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é uma referência para a renda fixa. 

Por isso, muitas vezes você vai se deparar com opções de CDBs que rendem um percentual do CDI. 

Por exemplo, um CDB que rende 110% . Nesse caso, o título renda a taxa cheia do CDI (5,4% em 24 de outubro de 2019) mais 10%. Ou seja, 5,94% de rendimento anual. 

É importante ressaltar, que os CDBs estão sujeitos à tributação do Imposto de Renda, cuja alíquota segue a tabela regressiva de impostos, como segue:

  • Aplicação de até 180 dias: 22,5%
  • Aplicação de 181 dias a 360 dias: 20%
  • Aplicação de 361 dias até 720 dias: 17,5%
  • Aplicação maior do que 721 dias: 15%

Nesse caso, quanto maior o tempo de aplicação, menor a alíquota do imposto de renda. 

Muita gente esquece de considerar os imposto na hora de calcular o rendimento do investimento e isso é totalmente errado. 

O valor dos impostos podem impactar consideravelmente o resultado da aplicação, por isso sempre devem ser considerados. 

Além do imposto de renda o CDB também está sujeito ao IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Mas o IOF só é cobrado para resgates de curto prazo, até 30 dias. 

CDB e CDI

Para os veteranos da renda fixa, o CDI já é um velho conhecido. 

O CDI, mais precisamente a Taxa DI, é usada para balizar o retorno de uma parcela muito grande desse tipo de investimento. 

A Taxa DI, muitas vezes chamadas apenas de CDI, é a taxa usada para determinar os juros dos empréstimos interbancários, por isso ela é tida como a taxa mais segura do mercado. 

Por isso, na maioria dos casos, os investidores e analistas usam a Taxa DI para medir a qualidade do retorno de um investimento. 

Qualquer investimento com rendimento abaixo do CDI pode não ser considerado um bom investimento, a menos que oferece outras vantagens importantes para o investidor.  

De maneira geral, a Taxa DI acompanha de perto a taxa básica de juros da economia, Taxa Selic, por isso, sempre que houver mudança na Taxa Selic, possivelmente o CDI também vai mudar. 

Vantagens do CDB

O CDB pode ser uma boa opção para os mais diferentes perfis de investimentos. 

Como esses títulos são encontrados em abundância no mercado, você pode encontrar opções tanto para um investidor mais jovem, que está começando sua trajetória no mundo dos investimento quanto para os experientes com patrimônio já formado. 

Esses títulos possuem muita vantagens e podem ser usados para expandir o patrimônio ou como produto para diversificação. 

Conheça algumas vantagens do CDB.

Rentabilidade

Uma das maiores vantagens do CDB é sua rentabilidade. No mercado você pode encontrar títulos bastante rentáveis. 

Alguns CDBs emitidos por bancos menores e com prazo de aplicação maior podem chegar a render até 120% do CDI. 

Mas se você preferir pode encontrar opções com vencimento menor e mais seguros, com rentabilidade de 100% do CDI. 

Diversificação 

Como dissemos, o CDB pode usado por diferentes tipos de investidores, para aqueles que estão começando são uma boa forma de acumular capital. 

Já para aqueles que já possuem um patrimônio formado, os CDBs podem ser usados como uma boa forma de diversificação, para diluir os riscos da carteira. 

Liquidez

O CDB tem se tornado um investimento cada vez mais flexível. Com as muitas opções disponíveis no mercado, está cada vez mais fácil de encontrar ativos com melhores condições de liquidez. 

É importante lembrar, contudo, que esses títulos costumam pagar um percentual menor do CDI. 

Segurança

Os CDBs são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para investimentos de até R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por instituição, respeitando o limite máximo de R$ 1 milhão. 

Como escolher o melhor CDB Para investir

É preciso ter em mente que o melhor CDB para seu amigo, nem sempre será o melhor para você. 

Isso porque o melhor título é aquele que consegue atender às suas necessidades particulares. 

Por isso, para escolher o melhor CDB para investir é preciso ter em mente um objetivo financeiro e qual a estratégia para alcançá-lo. 

Assim será mais fácil escolher tipo de título mais adequado. 

Se o que você procura é uma opção de investimento de curto prazo, um CDB com liquidez diária pode ser a melhor indicação. Por outro lado, se você tem perfil mais arrojado e pode deixar o dinheiro aplicado por mais tempo, pode procurar por um CDB com prazo maior e maior rentabilidade.

Se você ainda tiver dúvidas de qual o melhor CDB para você, pode solicitar ajuda de um assessor independente de investimento. 

Esse profissional tem como principal objetivo trabalhar junto com você para fazer seu dinheiro crescer e como não são vinculados a nenhuma empresa específica podem te apresentar opções de variadas instituições. 

Assim, você terá mais possibilidades para escolher o melhor investimento. 

Conclusão

Os CDBs são um tipo de renda fixa já bastante conhecidos pelos investidores pelas suas características capazes de agradar os mais perfis. 

Os CDBs são emitidos por quase todos os bancos, por isso você vai encontrar um portfólio variado desses produtos no mercado. 

Em geral, os títulos emitidos por bancos menores, por apresentarem mais risco, oferecem rentabilidade melhor, enquanto títulos de grandes bancos oferecem costumam apresentar rendimentos menores. 

Nesse sentido, para escolher a melhor opção para você, é preciso levar em conta os seus objetivos e perfil de investidor

Além disso, você deve sempre considerar os efeitos dos impostos no rendimentos. Quanto mais tempo você deixar seu dinheiro aplicado, menor a alíquota do imposto de renda. 

Para investimentos com prazos maiores do que dois anos, você encontrar a menor tributação para esses produtos, 15%.