Se você acompanha o mercado financeiro ou os jornais, certamente já ouviu falar sobre o sobe e desce do Ibovespa, principal índice da bolsa de valores de São Paulo. Diariamente o índice sofre variação que refletem o ânimo do mercado de ações;

O Índice Bovespa calcula a desempenho médio da bolsa de valores, por meio de uma carteira teórica com as principais ações negociadas na B3. Por isso, o índice é usado como uma espécie de termômetro do mercado de ações no Brasil. 

O que é o Ibovespa?

O Ibovespa é o principal indicador do desempenho médio do mercado de ações no Brasil. Ele mede, através de um mecanismo de pontos baseado em reais, a performance média de uma carteira  teórica de ações. 

O Índice Bovespa, ou apenas IBOV, foi criado em 1968 e é um índice de retorno total, isso quer dizer que, além dele considerar as variações nos preços dos ativos que compõem a sua carteira, também reflete os efeitos do pagamento de todos os tipos de proventos das empresas emissoras dos papéis. 

Quais ativos compõem o Ibovespa?

A carteira teórica do Ibovespa é composta pelas ações com maior liquidez e maior volume financeiro de todo o volume de negócio da bolsa de valores. Para fazer parte do índice, os ativos devem cumprir alguns requisitos, a saber:

  • Ser negociado com regularidade,  estando presente em, pelo menos, 95% dos pregões do último ano;
  • Ter volume financeiro relevante, ao menos 0,1% do valor total negociado na bolsa no período;
  • Não ser considerada uma penny stocks, ações que têm cotação média menor do que R$ 1, são excluídas do índice;
  • Não estar em processo de recuperação judicial ou extrajudicial, regime especial de administração temporária ou intervenção.

As ações selecionadas, de acordo com o critérios citados,  são ordenadas segundo o índice de negociabilidade, que considera a quantidade de negociações e volume financeiro

Para compor a carteira são selecionadas as ações que representam, no acumulado, 85% das negociações realizadas no período. 

Cada ação, tem um peso diferente na carteira Ibovespa. Esse peso relativo , considera o valor total de mercado das ações da empresa disponíveis para negociação, free float. Portanto, quanto o maior o valor de mercado em negociação de uma empresa, maior seu peso no IBOV. 

É importante ressaltar, o peso de uma ação no Índice Bovespa deve respeitar o limite máximo de 20%. 

Por fim, como o mercado está em constante variação, os ativos que compõem o Ibovespa também variam com o tempo.  A cada quatro meses o IBOV é reavaliado e novas ações podem entrar, ou sair da carteira. 

Para definir quais ações irão fazer parte da carteira teórica, são levados em consideração os volumes dos últimos doze meses. 

Ibovespa hoje

Atualmente compõem a carteira do Índice Bovespa um total de 66 ações, incluindo ativos da Vale, Petrobras, Bradesco, Itaúsa, B3, Banco do Brasil, Itaú, Ambev, entre outras.

Confira a lista com as 20 maiores ações do IBOV, em termos de participação na carteira:

Essa carteira é válida para o período de  maio a agosto de 2019, depois disso, uma nova avaliação será feita e a Carteira do IBOV será ajustada. Para conferir a lista completa e atualizada você pode acessar o site da B3

É possível investir no Ibovespa?

Investir no Ibovespa diretamente não é possível, além disso, tentar replicar a carteira do índice com os mesmos ativos e a mesma proporção exigiria muito tempo e dinheiro, o que pode ser um problema para os investidores. 

No entanto, é possível aproveitar a alta do Ibovespa para lucrar no mercado de ações investindo em Contratos de Índice, Minicontratos de Índice e ETF’s. 

Contratos de Índice

Os contratos de índice são contratos futuros baseados no Índice Bovespa, negociados com data de vencimento predeterminada.Os lotes são compostos por cinco contratos e a sua cotação é proporcional aos pontos do IBOV. Para cada ponto, R$ 1,00, 1 ponto..

Minicontrato de Índice 

Assim como no caso dos contratos de índice, os minicontratos de índice também se baseiam no Ibovespa. Eles são negociados no mercado futuro, com vencimento bimestral. 

A cotação dos minicontratos vale 20% dos contratos cheios. Ou seja, R$ 0,20 para cada um 1 ponto. 

ETF’s

Os ETF’s  são fundos que possuem algum índice como referenciam. O BOVA11, por exemplo, é um fundo de índice que tem benchmark o Ibovespa, portanto, o objetivo do fundo é seguir de perto o Índice Bovespa.

Observe nas imagens abaixo a evolução do Ibovespa e do BOVA11:

Como é possível observar na comparação dos gráficos, o BOVA11 tem conseguido ao longo dos anos cumprir seu objetivo, e vem seguindo de perto as variações do Ibovespa. Portanto, se o objetivo é obter um desempenho próximo ao do principal índice da bolsa brasileira, o ETF pode ser uma boa opção. 

Outros Índices da Bolsa de Valores

O Ibovespa não é o único índice da bolsa de valores, além deles, outros vários índices usados como referência para muitos investidores. Conheça alguns deles:

Índices amplos

  • IBrX 100 – Esse é o índice que mede a performance média das cotações dos 100 maiores ativos, em termos de negociabilidade e representatividade da Bolsa brasileira.
  • IBrX 50 – Esse índice é bem parecido com o IBrX 100, porém, mantém o foco apenas nas 50 maiores ações em termos de negociabilidade negociabilidade da B3.
  • IBrA – O IBrA, avalia o desempenho médio das cotações de todos os ativos negociados no mercado à vista (lote padrão) da B3. Sendo que esses ativos devem atender a critérios mínimos de liquidez e presença no pregão.

Índices de governança

  • IGCX – Esse é o Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada, ele médio desempenho médio das cotações dos ativos de empresas listadas no Novo Mercado ou nos Níveis 1 ou 2 da bolsa de valores
  • ITAG – O Índice de Ações com Tag Along Diferenciado mede o desempenho médio das cotações das ações de empresas que oferecem melhores condições aos acionistas minoritários, em caso de mudança do controle da companhia.

Índices de segmento

  • MLCX – Conhecido como Índice MidLarge Cap, o MLCX funciona como um termômetro que mede o desempenho médio das cotações dos ativos que compõem a carteira de maiores empresas em termos de capitalização.
  • SMLL – O Índice Small Cap, como sugere o nome, mostra a o desempenho médio das cotações do ativos que compõem um carteira apena com empresas de menor capitalização na bolsa. 
  • IDIV – Esse é interessante para quem busca formar um carteira para fins de dividendos. O Índice de Dividendos, IDIV, mostra o desempenho médio dos ativos ligados a empresas que se destacaram pela remuneração aos investidores, por meio dos juros sobre capital próprio e distribuição de dividendos. 

Índice de sustentabilidade

  • ICO2 – A sigla quer dizer Índice Carbono Eficiente e se refere às ações de empresas listadas no índice IBrX-50 que passaram a adotar melhores práticas sobre suas emissões de gases efeito estufa (GEE).

Índices setoriais

  • IFNC – O IFNC é um Índice Financeiro é um indicador usado como indicador para o desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade ligados aos setores de intermediários financeiros, serviços financeiros diversos, previdência e seguros.

Índices SPDJI/BVMF

  • Índice de commodities – O Dow Jones/B3 Índice de Commodities foi criado com o intuito de servir como umamedida ampla do mercado brasileiro de contratos futuros de commodities
  • Índice de renda fixa – O Índice S&P-B3 Inflação NTN-B avalia o desempenho dos títulos públicos brasileiros do Tesouro Nacional mais líquidos, que sejam denominados em reais e indexados ao IPCA.

Espero que tenha gostado do artigo e aproveite para compartilhar ele com mais pessoas que gostam do mercado de ações e queiram conhecer mais sobre o Índice Bovespa.