Fundos DI, o que são?

Nos últimos anos, muitas pessoas tem despertado interesse no mundo dos investimentos, que ainda possui opções de produtos ainda pouco explorados. Dentre eles estão os Fundos DI.

O movimento crescente no interesse em aplicações no mercado financeiro está relacionado à velocidade na qual as informações são disseminadas hoje em dia, principalmente através da internet que facilitou o acesso de milhares de pessoas ao conhecimento e a informação.

Além disso, diante do cenário mais incerto observada nos últimos tempos, muitas pessoas passaram a entender a importância de poupar e investir com o intuito de se proteger de momentos de crise e recessão, além de conseguir garantir um futuro mais tranquilo. 

Para aqueles que estão em busca de informação relevante acerca dos tipos de investimentos, com a finalidade de montar uma carteira que traga bons retornos, sem que haja necessidade de sofrer grandes riscos vale a pena ler este artigo até o final. 

Nele falaremos sobre os Fundos DI, mais uma das opções de investimento disponível no mercado financeiro.

O que são Fundos DI

O mercado financeiro, possui diversos tipos de investimentos que você pode usar para montar uma carteira diversificada. 

Porém, é preciso conhecer alguns fatores importantes como a rentabilidade e os riscos de aplicar o seu dinheiro em cada um deles.

Investidores mais arrojados e com solidez financeira costumam reservar um percentual maior de seu capital em investimentos com risco médio e alto, em busca de maiores retornos. 

Já para aqueles que buscam estabilidade, segurança ou estão começando a investir a recomendação é aplicar em investimentos de baixo risco.

Uma excelente opção de investimentos está justamente no Fundo DI

Um fundo é composto por vários investidores que colocam o seu capital sob a responsabilidade de um administrador, que por sua vez fica encarregado de fazer as análises de mercado e identificar as melhores opções de investimento para aplicação dos recursos, sendo remunerado para tal.

Nos Fundos DI, pelo menos 95% do capital precisa está investido em títulos públicos ou privados. Todo o processo é controlado e supervisionado pela Bolsa de Valores.

Como Funcionam os Fundos DI

Os Fundos DI ou Fundos Referenciados DI são uma excelente opção para quem deseja segurança e menores riscos. Isso porque neste tipo de fundo ao menos 95% do montante total investido precisa está em títulos públicos ou privados atrelados ao CDI ou a Taxa Selic que naturalmente oferecem menores riscos ao investidor.

Nos fundos de investimento você não precisa ficar na frente do computador fazendo análises complexas e acompanhando o mercado a todo momento. 

Esse trabalho é feito pelos administradores do fundo, que são especialistas no assunto com experiência de mercado. 

Funciona da seguinte forma: Você investe através da aquisição de uma cota no fundo de investimento escolhido, enquanto isso,os administradores do fundo estudam o mercado, encontram as melhores opções e aplicam os recursos. 

O objetivo do gestor do fundo é fazer com que os dinheiro aplicado pelo investidores tenham o melhor retorno possível, sem, no entanto, abrir mão da segurança, uma vez que os fundos DI são aplicados em investimentos de baixo risco.

Continue acompanhando o nosso texto e descubra as vantagens e desvantagens dos fundos DI.

Vantagens dos Fundos DI

Investimento seguro, ideal para perfis conservadores

Os Fundos de investimento DI não expõem o capital dos seus investidores aos riscos que alguns ativos do mercado, como o mercado de ações e outros produtos de renda variável podem oferecer.

Opção de baixo custo

Não precisa ser nenhum magnata para começar a investir em Fundos DI, é possível adquirir cotas de tipo de fundo por R$ 100,00.

Liquidez Diária

Os Fundos DI, oferecem liquidez diária, ou seja o investidor consegue resgatar o valor investido rapidamente, caso necessário, mesmo antes do período previamente estipulado.

Excelente alternativa para diversificação da carteira de investimentos

Uma das principais regras a respeito dos investimentos é a diversificação da carteira. Assim é possível garantir equilíbrio entre risco e rentabilidade.

Os fundos DI são uma opção a mais que os investidores possuem na hora de montar sua carteira.

 Além disso, para quem possui pouco capital para investidor, esse tipo de investimento pode ser uma alternativa. 

Quando você compra uma cota do fundo, passa a investir automaticamente em todos ativos nos quais aquele fundo investe, assim você pode diversificar sua carteira de investimento com um único ativo. 

Cotas administradas por profissionais capacitados

Outra vantagem dos Fundos Referenciados DI, está relacionado com a sua administração, uma vez que o investidor adquire cotas de um fundo, ele coloca o seu dinheiro sob a gestão de profissionais capacitados e prontos para encontrar as melhores aplicações.

Desvantagens dos Fundos DI

Fundos DI não possuem cobertura do FGC

O FGC é o fundo garantidor de créditos e a sua função é a de assegurar valores depositados ou investidos até o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. Porém, o FGC não oferece garantia para os fundos de investimentos DI.

Taxa de administração

Para manutenção do fundo e remuneração de seus administradores, é cobrada uma taxa a título de administração. 

Antes de optar por um fundo é preciso fazer uma análise e verificar se a taxa cobrada não compromete a rentabilidade do seu investimento. O ideal é buscar por fundos que oferecem taxa de administração de no máximo 1% ao ano.

Menor poder de decisão

Ao optar por um fundo de investimentos você não tomará as decisões diretamente, pois são os administradores que determinarão em quais ativos investir. 

Essa é até uma boa opção para investidores iniciantes e que ainda não conhecem bem o mercado, mas pode ser uma desvantagem para aqueles que já dominam o mercado financeiro e portanto podem conquistar rendimentos melhores em outras aplicações.

Para quem os Fundo DI são Indicados

Os Fundos Referenciados DI são considerados uma excelente opção para quem deseja uma boa rentabilidade com baixo risco, uma vez que a maior parte dos recursos disponíveis precisam obrigatoriamente estar atrelados a títulos públicos ou privados, referenciados pelo CDI ou pela Taxa Selic.

Assim, esse tipo de fundo é ideal para investidores iniciantes e com menor poder financeiro.

Os Fundos DI podem ser também uma excelente opção para diversificação de carteira, sendo inclusive uma reserva para possíveis emergências, uma vez que dentre as suas principais características está a liquidez diária, que permite ao investidor resgatar a totalidade ou parte do valor investido de forma rápida e segura.

Como Escolher o Melhor Fundo DI

Agora que você chegou até pode ser estar se perguntando: Como escolher o melhor Fundo DI para investir? Essa é uma pergunta comum entre investidores que decidem inserir essa opção de investimento em sua carteira.

Com o intuito de auxiliar em sua tomada de decisão, separamos alguns pontos importantes e que não podem ser deixados de lado em uma boa avaliação.

Taxa de Administração

A taxa de administração é cobrada com o intuito de operacionalizar o fundo de investimentos e remunerar os profissionais responsáveis por gerenciar e administrar o respectivo fundo.

É preciso ficar atento a esta taxa na hora de escolher um Fundo Referenciado DI, pois dentre as diversas opções disponíveis no mercado, é possível encontrar taxas que variam em geral, entre 0,3%  a 3% ao ano.

É preciso ficar atento, pois quanto maior a taxa de administração cobrada, menores serão os rendimentos líquidos da aplicação.

Rentabilidade Histórica

É muito importante que o investidor tenha conhecimento a respeito da rentabilidade histórica dos Fundos em que pretende investir. 

É preciso ter em mente que ganhos no passado não são garantia de ganhos no futuro, mas através desta informação você pode avaliar por exemplo, a gestão do Fundo, descobrindo se existe uma gestão realmente qualificada e se os retornos previstos estão dentro daqueles esperados por ele.

Políticas de Investimento

É importante conhecer também as políticas de investimento do Fundo, principalmente no que diz respeito a forma com a qual os recursos serão geridos pelos administradores, valor mínimo a ser investido, valor mínimo para resgate, composição da carteira, entre outros.

Todas essas informações podem ser facilmente encontradas no prospect do respectivo fundo e devem ser cuidadosamente observadas, visando uma melhor escolha em consonância com os objetivos do investidor.

Qual a rentabilidade do fundo DI?

Os Fundos Referenciados DI ou simplesmente Fundos DI, concentram as suas aplicações em títulos pós-fixados do Tesouro Direto, que por sua vez seguem a Taxa Selic e em títulos de instituições privadas, que costumam seguir o CDI.

Contudo, a Taxa Selic e o CDI são muito próximos e por este motivo a maior parte dos fundos tem como objetivo alcançar ou superar a remuneração referente a 100% do CDI.

Para que você tenha uma ideia, a previsão dos investidores é de que a Taxa Selic encerre o ano em 4,5%.

Não podemos esquecer em nosso cálculo de rentabilidade o percentual cobrado a título de administração, que será terá como base os rendimentos auferidos pelo investidor.

Outro ponto que deve ser levado em consideração na hora de optar por investir em um Fundo Referenciado DI é o Imposto, tema do nosso próximo tópico.

Como funciona a tributação do Fundo DI?

Imposto de Renda – IR

Os Fundos DI sofrem incidência de Imposto de Renda com base em seus lucros. O desconto do IR é realizado no momento em que o investidor solicita o resgate, seguindo para efeitos de cálculo a tabela regressiva do imposto de renda, conforme abaixo:

  • Até 180 dias – 22,5%
  • De 181 a 360 dias – 20%
  • De 361 a 720 dias – 17,5%
  • A partir de 720 dias – 15%

No Fundo DI, temos também a presença do tradicional “come-cotas” que na verdade é uma espécie de adiantamento ao imposto de renda e que ocorre sempre nos meses de maio e novembro de cada ano. 

Sendo, portanto recolhida de forma automática a importância de 15% sobre os seus rendimentos na aplicação.

Mas, fique tranquilo, no momento do resgate você pagará apenas a diferença, caso exista, levando em consideração o tempo de aplicação.

Imposto Sobre Operações Financeiras – IOF

É preciso alertar, que para os casos em que ocorrer o resgate do valor aplicado, em período inferior a 30 dias, será cobrado o IOF, seguindo também como base uma tabela regressiva de acordo com o número de dias em que o valor ficou investido, conforme abaixo:

Resultado de imagem para tabela iof investimentos

Após 30 dias de aplicação, não há a cobrança de IOF para operações de resgate.

Portanto, recomenda-se a aplicação em Fundos DI com objetivos de resgate em períodos superiores a 720 dias, pois assim além de não ocorrer a cobrança de IOF, o investidor contribuirá com a menor alíquota de IR, de acordo com a tabela regressiva do tributo, ou seja, 15%.

Taxa Para investimentos em Fundo DI

Para investimentos em Fundos DI haverá a cobrança apenas da taxa de administração, com o intuito de remunerar a equipe responsável pela operacionalização e gestão do fundo.

No caso dos Fundo DI não ocorre a incidência da taxa de performance, sendo essa inclusive uma vedação da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, entidade responsável por organizar e fiscalizar o mercado de investimentos no Brasil. 

Esta taxa é bastante comum em outros tipos de fundo de investimento e tem como intuito bonificar o fundo através de uma percentual previamente definido para os casos onde a rentabilidade do respectivo fundo ultrapassar a rentabilidade esperada inicialmente. 

Não ocorre ainda a cobrança de outras taxas comuns em alguns tipos de investimento como taxas de saque ou carregamento.

Como investir em fundos DI

Depois de conhecer detalhadamente os Fundos Referenciados DI ou simplesmente Fundo DI, chegou a hora de você descobrir como investir nesses fundos.

Não se preocupe, pois o processo é simples e muito parecido com outras modalidades de investimentos.

Em primeiro lugar você precisará abrir uma conta em uma corretora de valores. Existem várias opções no mercado, sendo que cada uma costuma ter algum diferencial para atrair possíveis clientes. 

Portanto na hora de escolher a sua recomendamos que seja feita uma análise para encontrar aquela que possa lhe oferecer os melhores serviços e opções de investimento. Uma boa opção é buscar a opinião de investidores mais experientes.

Após a abertura de conta em uma corretora de valores, o próximo passo é enviar dinheiro para ela. Em geral você poderá fazer isso através de transferência bancária e em alguns casos até mesmo via o pagamento de boletos.

Depois de dar os primeiros passos hora de escolher o melhor Fundo DI, dentre as opções disponíveis, sempre levando em consideração os conhecimentos e informações relevantes que você adquiriu até aqui, como por exemplo o percentual da taxa de administração cobrada pelo fundo e o seu histórico de rentabilidade.

Fundo DI ou Tesouro Direto: Qual é melhor?

Vamos tentar responder essa pergunta, fazendo um pequeno comparativo entre Fundos DI e o Tesouro Direto.

Os investidores em Fundos Referenciados DI são atraídos pela segurança e rentabilidade oferecida por esta modalidade de investimento. 

Essa são, sem dúvidas, uma das principais vantagens a tranquilidade de saber que os recursos investidos estão sendo gerido por profissionais qualificados e com amplo conhecimento a respeito do mercado financeiro.

Por outra ótica, é preciso levar em consideração as taxas de administração cobradas por cada Fundo, uma vez que caso estas sejam superiores a 1% ao ano, a rentabilidade pode se tornar pouco atrativa.

O Tesouro Selic por sua vez, tem sua rentabilidade atrelada a taxa básica de Juros, Selic, assim como boa parte dos Fundos DI, sendo que estes podem também ter como base o CDI, que na prática são taxas muito próximas.

No Tesouro Selic, é possível encontrar diversas corretoras que não cobram taxa de administração, sendo neste caso cobrado apenas o percentual de 0,3% ao ano, a título de taxa de custódia da BM&FBovespa, responsável por operacionalizar as transações com o Tesouro.

Outra vantagem do Tesouro Selic está relacionada ao valor mínimo necessário para investimento, a partir de R$ 30,00 enquanto que nos fundos de investimento o valor mínimo costuma ser de R$ 100,00.

É preciso considerar ainda, que no Tesouro o próprio investidor é o responsável por suas escolhas de investimento, dentre as opções disponíveis.

Fundo DI ou CDB: onde investir?

Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos por bancos privados. Funciona como um empréstimo, sendo que neste caso é o investidor que emprestará os seus próprios recursos aos bancos.

Em um primeiro momento, pode parecer curioso não é mesmo? Afinal, os bancos que são conhecidos por possuir muito dinheiro e altos lucros, pedindo dinheiro emprestado?

Isso acontece, pois os bancos precisam manter altíssimos valores financeiros em seus caixas, desta forma, com o intuito de operacionalizar as suas atividades de financiamento e opções de crédito os bancos oferecem títulos de renda fixa a investidores. 

Esse investidores, por suas vezes são remunerados com base em uma taxa que pode ser prefixada ou pós-fixada com base no CDI.

A grande vantagem desta modalidade de investimento está na possibilidade de conhecer previamente a rentabilidade ao final do período. É preciso destacar também que esta modalidade de investimento é garantida pelo FGC – Fundo Garantidor de Crédito.

Apesar de ser uma prática que vem perdendo espaço, é preciso ter cuidado com opções de CDB que cobram multa por retiradas antes do prazo previamente estipulado.

Já nos Fundos DI, você também estará investindo em renda fixa, porém colocando suas opções de escolha nas mãos de profissionais do mercado financeiro.

Na prática, ambas as opções são muito parecidas em termos de segurança e rentabilidade, portanto, o melhor a ser feito é analisar e optar em geral por aquela que é capaz de oferecer um melhor retorno.

Fundo DI versus Poupança

Não há qualquer dúvida em relação a este comparativo. O Fundo DI é de longe melhor que a poupança. 

Muitos analistas e investidores nem sequer consideração a poupança como uma opção de investimento. É isso mesmo, a poupança que durante vários anos foi a opção mais procurada pela população brasileira para fazer as suas economias render, tem perdido cada vez mais espaço para outras modalidades de investimento.

Este fenômeno tem um motivo claro, a baixa rentabilidade oferecida pela poupança.

Muitas pessoas ainda investem na poupança por simples falta de conhecimento a respeito de outras opções de investimento, outros preferem manter o seu dinheiro na poupança por medo de conhecer e investir em novas modalidades.

O certo é que com a disseminação cada vez maior de informações a respeito do mercado financeiro e sobre outras modalidades de investimento a poupança vem perdendo espaço. 

Há quem pense que investir é privilégio dos grandes empresários e magnatas, pelo contrário, se você leu este texto desde o ínicio já pôde perceber que não precisa ser nenhum milionário para investir, não é mesmo?

Para que você tenha uma ideia, a rentabilidade anual oferecida atualmente pela poupança é de aproximadamente 3,85% ao ano, o que é muito pouco.

Isso acontece, pois a poupança atualmente rende apenas 70% da Taxa Selic + Taxa Referencial (TR). Vale lembrar que a cotação atual da TR é de 0%, portanto a poupança tem rendido apenas 70% da Selic, que está em queda.

A meta da Taxa Selic é definida pelo COPOM – Comitê de Políticas Monetárias do Banco Central, com base nas boas previsões para a economia e para a inflação, o órgão tem feito reduções recentes na meta Selic. 

Atualmente a Taxa encontra-se em 5%,  com expectativa de novas quedas até o patamar de 4,5 ou 4,25%, o que caso confirmado reduzirá ainda mais a rentabilidade da poupança. 

Apenas para efeitos comparativos, no último pico da Selic, que ocorreu em 2016, a taxa chegou ao patamar de 14%.

Vale a pena investir em fundos DI?

Você deve ter percebido que o Fundo DI possui muita semelhanças com outras opções de investimentos em renda fixa, não é mesmo?

Portanto, não há dúvidas de que realmente vale a pena investir em Fundos DI, tendo em vista principalmente  esta ser mais uma opção rentável e segura para diversificação de sua carteira de investimentos.

A grande vantagem dos Fundos Referenciados ou Fundos DI, como preferir, está na administração dos recursos, que fica por conta de profissionais que irão sempre buscar o melhor desempenho possível para a aplicação, tendo como meta mínima o rendimento do CDI.Como o CDI está sempre muito próximo do percentual da Taxa Selic, os rendimentos oferecidos pelos Fundos DI, tornam-se atrativos.