Vimos no último artigo que uma vez que uma empresa conclui uma oferta pública inicial (IPO) , suas ações se tornam públicas e podem ser negociadas em um mercado de ações, assim você pode começar a investir em ações.

Os mercados de ações são locais onde compradores e vendedores de ações se encontram e decidem sobre um preço para negociar. 

O que é e Onde Fica a Bolsa de Valores?

Algumas bolsas são locais físicos onde as transações são realizadas em um pregão, mas cada vez mais as bolsas de valores são virtuais, compostas de redes de computadores onde as negociações são feitas e registradas eletronicamente.

Os mercados de ações são mercados secundários , onde os proprietários existentes de ações podem negociar com compradores em potencial. 

É importante entender que as empresas listadas nos mercados de ações não compram e vendem suas próprias ações em uma base regular (as empresas podem realizar recompras de ações ou emitir novas ações, mas estas não são operações cotidianas e muitas vezes ocorrem fora da bolsa).

Então, quando você compra uma ação no mercado de ações, você não está comprando da empresa, você está comprando de algum outro acionista existente. 

Da mesma forma, quando você vende suas ações, você não as vende de volta para a empresa – em vez disso, você as vende para algum outro investidor.

Onde Começou a Bolsa de Valores?

Os primeiros mercados de ações apareceu na Europa nos séculos 16 e 17, principalmente em cidades portuárias ou hubs comerciais, como Antuérpia, Amsterdam e Londres. 

Essas primeiras bolsas de valores, no entanto, eram mais parecidas com as trocas de títulos, já que o pequeno número de empresas não emitia capital. 

De fato, a maioria das primeiras corporações eram consideradas organizações semipúblicas, uma vez que tinham que ser autorizadas por seu governo para realizar negócios.

No final do século 18, os mercados de ações começaram a aparecer nos Estados Unidos, nomeadamente a New York Stock Exchange (NYSE) , o que permitiu ações serem compradas e vendidas (a honra da primeira bolsa de valores na América vai para o Philadelphia Bolsa [PHLX] , que ainda existe hoje). 

A NYSE foi fundada em 1792 com a assinatura do Acordo Buttonwood por 24 corretores e corretores da cidade de Nova York. 

Antes desta incorporação oficial, os investidores e corretores se reuniam não oficialmente sob uma árvore em Wall Street para comprar e vender ações.

O advento dos mercados acionários modernos inaugurou uma era de regulamentação e profissionalização que agora garante que os compradores e vendedores de ações possam confiar que suas transações ocorrerão a preços justos e dentro de um período razoável de tempo. 

Atualmente, existem muitas bolsas de valores nos EUA e em todo o mundo, muitas das quais estão ligadas eletronicamente. Isso, por sua vez, significa que os mercados são mais eficientes e mais líquidos, e o preço é justo a todos.

Como o preço das ações é definido?

Os preços das ações em um mercado de ações podem ser definidos de várias maneiras, mas a maneira mais comum é através de um processo de leilão em que os compradores e vendedores fazem lances e ofertas para comprar ou vender. 

Uma oferta é o preço pelo qual alguém deseja comprar, e uma oferta é o preço pelo qual alguém deseja vender. Quando a oferta e a oferta coincidem, uma negociação é feita.

Alguns mercados de ações dependem de traders profissionais para manter ofertas e ofertas contínuas, já que um comprador ou vendedor motivado pode não se encontrar a qualquer momento. 

Estes são conhecidos como Market Maker. 

Um mercado de ações consiste na oferta e na oferta, e o spread é a diferença de preço entre a oferta e a oferta. 

Quanto mais estreito o spread de preços e o maior tamanho das ofertas e ofertas (a quantidade de ações de cada lado), maior a liquidez da ação. 

Além disso, se houver muitos compradores e vendedores a preços sequencialmente mais altos e mais baixos, o mercado terá boa profundidade. 

Os mercados de ações de alta qualidade geralmente tendem a ter pequenos spreads de compra e venda, alta liquidez e boa profundidade. Da mesma forma, ações individuais de alta qualidade e grandes empresas tendem a ter as mesmas características.

Como saber se o Mercado de Ações vai bem ou não?

Além de ações individuais, muitos investidores estão preocupados com índices de ações (também chamados de índices). 

Os índices representam preços agregados de várias ações diferentes, e o movimento de um índice é o efeito líquido dos movimentos de cada componente individual. 

Quando as pessoas falam sobre o mercado de ações, elas geralmente estão se referindo a um dos maiores índices, como no Brasil o Ibovespa ou o IBR-X 100 e nos EUA o DJI (Down Jones) ou SP&500.

O que é o Índice Bovespa?

O Índice Bovespa é o mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão. É formado pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses.

Na B3, os investidores podem negociar ações de aproximadamente 500 empresas diferentes. Para se ter um indicador que represente de forma fiel e eficiente o comportamento do mercado, foi criado o Ibovespa.

Trata-se da formação de uma suposta carteira de investimentos que é composta de aproximadamente 70 ações retratando a movimentação dos principais papéis negociados na B3, representando não só o comportamento médio dos preços mas também o perfil das negociações – do mercado à vista – observadas nos pregões.

Estas ações, em conjunto, representam 80% do volume transacionado nos doze meses anteriores à formação da carteira. Como critério adicional, exige-se que a ação apresente, no mínimo, 80% de presença nos pregões do período. Portanto, o critério de corte é a liquidez do papel

Os Principais Mercados de Ações nos EUA

O DJIA é um índice ponderado de preços de 30 grandes corporações americanas. Devido ao seu esquema de ponderação e que consiste apenas em 30 ações – quando há muitos milhares para escolher – não é realmente um bom indicador de como o mercado de ações está se saindo. 

O S & P 500 é um índice ponderado de capitalização de mercado das 500 maiores empresas dos EUA e é um indicador muito mais válido. Os índices podem ser amplos, como o Dow Jones ou o S & P 500, ou podem ser específicos de uma determinada indústria ou setor de mercado. 

Os investidores podem negociar índices indiretamente por meio de mercados futuros, ou por meio de fundos negociados em bolsa (ETFs), que negociam como ações em bolsas de valores.

Passo a passo para investir em ações na Bolsa de Valores

Defina seus objetivos de investimento

Antes de mais nada é preciso ter objetivos bem definidos ao ingressar no mercado de ações.

Para quem não tem muito tempo para estudar e tem um perfil bastante conservador, é mais adequado procurar investimentos com baixo risco.

Para quem tem um perfil mais agressivo, mas não tem tempo para estudar ou não tem interesse, uma opção são os fundos de investimento.

Existem de diversos tipos, voltados para o mercado de renda fixa, acionário, câmbio ou até mesmo uma junção de todos eles.

Nestes fundos você aloca um capital mínimo e seu dinheiro é administrado por gestores experientes em troca de uma parte da rentabilidade.

Para quem é mais agressivo e tem interesse em estudar as melhores oportunidades no mercado acionário, é preciso saber que existem diferentes formas de ganhar dinheiro com ações.

Para quem está com dúvidas, recomendo a leitura do seguinte artigo “Como Comprar Ações – 4 Dicas para Ser Acionista, Investidor ou Especulador na Bolsa de Valores”

Defina Como Quer Investir em Ações

Pode-se ganhar dinheiro com ações basicamente de três maneiras:

  • Comprar em um patamar de preço mais baixo e vender em um patamar mais alto para ganhar a diferença (e vice-versa);
  • Comprar ações para segurar e ganhar com dividendos;
  • Aluguel de ações.

Saber as possíveis formas de atuação é importante para definir qual janela temporal se deseja atuar.

É possível investir e carregar as ações por períodos longos, como meses ou anos. Comprar e vender ações em períodos mais curtos, como dias ou semanas.

E até mesmo comprar e vender ações no mesmo dia para ganhar com uma pequena valorização ou desvalorização.

Estas janelas são conhecidas como: Position (tempos mais longos), Swing Trade (dias ou semanas) ou Day Trade (compras e vendas no mesmo dia).

Cada janela de tempo necessita de diferentes tipos de análise. É recomendada a especialização em pelo menos alguma técnica.

Entre as mais conhecidas é possível citar: análise fundamentalista, análise técnica ou análise de fluxo de ordens.

Os três tipos são importantes e não vou neste artigo entrar no mérito de qual é a melhor.

Escolha por Qual Corretora Irá Investir

Após definir seu objetivo, é hora de escolher uma boa corretora.

Se você vai fazer muitas operações, é importante procurar uma corretora com o custo de corretagem mais baixo e com um bom suporte ao cliente.

Caso esteja cogitando operações no mesmo dia, daytrading, é importante que a corretora tenha uma conexão rápida e estável com a bolsa, caso contrário você pode perder sua conexão no meio de uma operação.

Se você está começando, algumas corretoras oferecem salas de call com analistas experientes.

Mas atenção, é sempre indicado muitos estudos para suas próprias operações, só assim você pode criar um sistema que se adeque ao seu próprio gosto.

Se o interesse for em investimento em prazos mais longos, algumas oferecem opções mais diversificadas de investimento.

Por exemplo, maior diversidade de fundos de investimento ou títulos de renda fixa.

Vale também abrir conta em mais de uma corretora, caso uma sozinha não supra todas suas necessidades.

Transfira Dinheiro para sua Conta na Corretora

Preciso de muito dinheiro para começar? Não. As ações são vendidas em lotes padrão (geralmente de 100), mas é possível comprar apenas uma fração deste lote no mercado fracionário.

A transferência é feita de uma conta em uma instituição bancária para sua nova conta da corretora.

Após transferir o dinheiro, você está habilitado para fazer suas operações por meio de uma plataforma online conhecida como Home Broker.

Fique Atendo aos Custos da Operação

Existem algumas taxas importantes que é preciso conhecer. São elas: custo de corretagem, emolumentos, ISS, taxa de custódia e imposto de renda.

A taxa de corretagem é cobrada pela corretora para fazer a intermediação com a bolsa de valores. Pode ser fixa, para um determinado número de ações, ou variar conforme a quantidade negociada. Por exemplo: R$ 2,50 por operação de compra ou venda de um lote padrão (normalmente 100 ações).

Os emolumentos são taxas de negociação e liquidação cobradas pela bolsa e variam conforme alguns critérios. As taxas podem ser conferidas neste link.

Existe também o ISS (Imposto Sobre Serviço). É um imposto municipal, cobrado juntamente com a taxa de corretagem. É da ordem de 5% sobre o custo de corretagem para a cidade de São Paulo, onde está localizada a bolsa.

A taxa de custódia é cobrada pela corretora pela guarda de ações ou títulos. Varia de corretora para corretora.

O Imposto de Renda é diferente para operações day trade e para operações realizadas em datas diferentes.

É da ordem de 20% sobre o lucro para operações de compra e venda no mesmo dia e 15% para operações comuns.

O pagamento deve ser feito mês a mês por meio de uma DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais).

No caso de operações comuns, existe isenção caso a venda total de ações seja menor que R$ 20.000,00.

Gerenciamento de Riscos e Conclusões

A compra de ações nada mais é do que o financiamento privado, portanto, é muito importante um estudo e análises bem feitas para entender os riscos ao alocar capital em determinadas empresas.

Se a empresa vai mal, o capital investido tende a diminuir, se ela vai bem, o capital tende a aumentar.

Como existe a possibilidade de desvalorização de uma ação, é importante diversificar o capital em diferentes empresas e diferentes tipos de investimento.

A renda fixa ainda é muito atrativa no Brasil e, por isso, ainda é recomendado alocar boa parte do seu capital em um investimento com menor risco.

Investir em ações pode ser uma ideia fora da realidade para muita gente, mas esta mentalidade vem mudando.

Em outros países, onde as taxas de renda fixa não são tão atrativas como o Brasil, grande parte da população recorre às ações para melhor rentabilidade.

Com uma melhora em nossa economia é provável que cada vez mais pessoas venham procurar este importante mercado.