Assessoria de Investimentos - O que é e Como Funciona? | Blog London Capital

Assessoria de Investimentos – O que é e Como Funciona?

By Jonathan Camargo

O que faz um planejador financeiro?

No Brasil, a utilização de assessoria de investimentos ainda é pequena se comparado ao restante do mundo.

Em países como Estados Unidos e Inglaterra, um percentual significativo da população utiliza desses serviços para o acompanhamento dos seus investimentos financeiros.

As vantagens da contratação de uma empresa de assessoria de investimentos não só compensam pelos resultados obtidos como também proporcionam maior segurança aos investidores.

O que é um Assessor de Investimentos?

O assessor de investimento nada mais é do que o profissional responsável por auxiliar investidores e potenciais investidores a tomarem suas decisões.

GUIA DAS MELHORES

CORRETORAS DE VALORES 2019

UM GUIA COMPLETO DAS MELHORES CORRETORAS DE VALORES PARA VOCÊ INVESTIR SEU DINHEIRO EM 2019.

O seu nome formal é, na verdade, Agente Autônomo de Investimentos.

A profissão é atualmente regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

E, desde 2012, a Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (ANCORD) é a entidade responsável por certificar os profissionais da área.

O assessor de investimento pode atuar como pessoa física ou pessoa jurídica, mas sempre integrado a uma corretora, em nome da qual atua como representante.

Ou seja: o profissional vai sempre contar com uma corretora de valores por trás de todas as suas operações, sugestões e recomendações.

Nos Estados Unidos, a profissão é conhecida como stock broker ou, em alguns casos, financial advisor.

Lá, o profissional pode atuar de formas um pouco diferentes, mas possui basicamente as mesmas atribuições.

No Brasil, há cerca de 6,8 mil Assessores de Investimentos

Desses, aproximadamente 1,1 mil são pessoas jurídicas.

Esse é um mercado bem pouco explorado quando comparado aos Estados Unidos.

Por lá, mais de 1,3 milhão de pessoas ganham a vida ajudando os americanos a investir melhor o seu dinheiro.

O assessor de investimento geralmente é comparado ao gerente de banco, numa comparação de certa forma injusta e que geralmente tende a pesar para o assessor de investimentos

O que faz uma Assessoria de Investimentos?

A assessoria de investimentos consiste em indicar os melhores investimentos para seus clientes através de avaliação do perfil, objetivos e necessidades do investidor.

Através de profissionais especializado, esse tipo de empresa tem acesso a uma gama maior de produtos, além de estar sempre atenta as tendências da economia procurando boas oportunidades que um investidor sozinho não teria condições de acompanhar.

Há ainda no Brasil, um senso comum de investir através de grandes bancos, como Caixa Econômica, Banco do Brasil, Bradesco e Itaú.

Uma parcela muito pequena está fora desse círculo, e é essa parcela que normalmente consegue os melhores investimentos.

Bancos normalmente ficam restritos as opções de investimentos do próprio banco, sejam CDBsfundos de investimentoLCI/LCA ou o que mais o banco tiver a oferecer, enquanto que através de outras instituições independentes, como as corretoras de valores, o investidor fica aberto a qualquer tipo de investimento, de qualquer instituição financeira.

Isso permite ao investidor escolher a melhor opção dentro de uma relação de diversidade de investimentos muito maior, além de ter a certeza que a indicação é realizada de forma isenta, sem conflito de interesses.

Como um Assessor de Investimentos pode me ajudar?

A principal característica de um assessor de investimentos é agir segundo os interesses de seu cliente.

Nesse sentido, não há um modo rígido e um passo a passo obrigatório para que ele execute em seu trabalho, pois cada pessoa possui necessidades, sonhos e perfis diferentes.

Aliás, se houvesse uma receita infalível e aplicável a todos, então você não precisaria de uma ajuda profissional, pois um simples livro bastaria, certo?

Para entender melhor seus clientes, um assessor de investimentos costuma executar 5 funções principais que podem ser mais simples ou mais complexas dependendo de quem busca seus serviços.

Vamos conhecê-las:

Mapear seu perfil financeiro e de investidor

Conhecer bem a real situação econômica, sua tolerância a riscos financeiros, bem como os sonhos e desejos do cliente é essencial para que o assessor de investimentos entenda quais ações serão mais adequadas à realidade daquela pessoa (por exemplo: aumentar a reserva emergencial, melhorar o retorno dos investimentos, garantir uma aposentadoria mais tranquila, entre outras ações).

Diagnosticar

Normalmente, o assessor de investimentos faz um diagnóstico, uma espécie de “foto” ou exame clínico, que dá um panorama bem exato da situação financeira atual do cliente.

Esse diagnóstico, associado ao perfil financeiro da pessoa, são essenciais para garantir que as ações sugeridas sejam as mais adequadas para o alcance dos objetivos.

Planejar

Quais são as ações que lhe permitirão atingir suas metas e sonhos? Quais são os investimentos mais adequados ao seu perfil?

Como diversificar os investimentos e garantir maiores retornos para que os sonhos se realizem em períodos cada vez menores?

Essas serão algumas das questões que o assessor de investimentos tentará responder com você para planejar cada uma das ações que você executará.

Executar

Não, ele não vai executar as ações no seu lugar, mas apoiará suas ações diárias a fim de que você consiga seguir todos os passos definidos no planejamento.

Sua ação é muito importante nesse momento, pois muitas pessoas conseguem traçar seus perfis financeiros e de investidor, realizam um bom diagnóstico e planejamento, mas não conseguem pôr em prática tudo o que foi estabelecido.

Ainda que você encontre dificuldades em algumas etapas, o assessor de investimentos poderá usar de sua experiência para indicar formas alternativas ou até revisar os planos e readequá-los à sua realidade.

Alcançar

As pessoas são movidas a sonhos, desejos, interesses e expectativas, e ao alcançar uma meta outras certamente surgirão.

Por isso, o assessor de investimentos também tem uma função importante no momento em que um objetivo é alcançado, pois ele poderá propor novas ações e um novo planejamento para viabilizar os caminhos até o novo degrau que você estabelecer.

Com uma diferença: ele já conhecerá as ações mais eficazes para o seu perfil e estilo de vida.

Quanto você ganharia a mais investindo com a ajuda de uma Assessoria de investimentos?

Olhando os dados da Anbima sobre a composição dos investimentos dos brasileiros nos últimos anos, podemos ter uma ideia do quanto se está perdendo com aplicações ruins.

De acordo com o Relatório de 2016, o saldo de aplicações financeiras no Brasil foi de R$ 2,043 trilhões, com um total de 71,7 milhões de clientes.

A forma como esses investimentos foram alocados varia bastante segundo o tipo de investidor: investidores de alta renda, que costumam usar os privates dos bancos, segmento para clientes com grandes aplicações, tem a maior parcela dos seus investimentos em Fundos de Investimento, seguido de perto por títulos de renda fixa, como Letras Financeiras, CRI’s, Debêntures ou CDB’s e em último lugar, a poupança.

Já para o varejo, os meros mortais, que corresponde a maior parte dos recursos aplicados (68,1%) há uma inversão das aplicações, sendo a poupança o principal investimento utilizado, e muito abaixo, títulos de renda fixa.

assessoria de investimentos - o que é e como funciona

Fonte: Anbima

Essa disparidade na composição dos ativos por segmento de investidor pode ser entendido por uma característica investimentos em grandes bancos. Fundos de investimento e títulos de renda fixa (CDB, Debêntures, LCI/LCA, Títulos Públicos) dessas instituições normalmente contam com uma aplicação mínima alta, restringindo o acesso ao pequeno investidor, ou nem são disponibilizados aos clientes de varejo, por isso nos segmentos de renda mais alta, esse é disparado o principal investimento.

Mas não obrigatoriamente é necessário recursos vultuosos para aplicar nesses investimentos utilizando outras vias, como corretoras e gestoras independentes, mas pela falta de informação o investidor brasileiro ainda investe em produtos inferiores, como a poupança.

Uma aplicação em título público via tesouro direto (site de venda de títulos públicos do governo federal) é possível fazer aplicações a partir de R$30,00, o que superaria e muito os retornos da poupança e de uma boa parte dos fundos de grandes instituições.

Colocando toda essa aplicação em números, temos que dos R$ 2,043 trilhões, R$ 605,06 bilhões estão aplicados na poupança, que apesar de ter crescido menos do que em anos anteriores, ainda corresponde a maior parte das aplicações dos brasileiros.

Ao longo de 2016, esses recursos rentabilizaram R$ 17,28 bilhões de reais até 12 de maio de 2016 (calculados com capitalização diária) ou 2,86%.

O que à primeira vista parece ter sido um bom negócio, se descontado a inflação, mostra que na verdade, esse investidor perdeu poder de compra durante o período: somente para manter o mesmo poder de compra que tinha no início do ano, precisaria ter rentabilizado 3,48% ou R$ 21,04 bilhões.

Caso em vez de aplicar na poupança, tivesse sido aplicado em Tesouro Selic, o investimento mais conservador de título público, o retorno no período seria de R$29,14 bilhões (bruto), bastante acima da poupança e da inflação do período. Se fosse possível avaliar todos os investimentos mais a fundo, a conta seria ainda maior, mas mostra quantos bilhões de reais são perdidos todos os meses por simples falta de informação.

Quais os principais benefícios de contratar uma Assessoria de Investimentos?

Algumas pessoas acreditam que por terem um gerente de banco e/ou um assessor interno às suas contas em corretoras de valores já estão recebendo orientações financeiras de qualidade e que o trabalho de um assessor de investimentos independente seria dispensável.

O erro em pensar assim está no fato de desconhecermos a estrutura das instituições financeiras.

O objetivo de toda empresa é ter lucros para aumentar o capital de seus donos, sócios e acionistas e um banco ou uma corretora é uma empresa.

Ou seja, ao contratar gerentes e assessores internos, são estabelecidas metas de vendas de produtos financeiros para que o banco tenha mais lucro — e não você.

O problema disso é que muitas vezes as pessoas contratadas colocam suas metas de vendas acima dos interesses dos clientes, o que faz com que seus investimentos tenham retornos menores que os esperados e que suas metas sejam alcançadas com maior esforço do que o necessário.

Você já deve ter ouvido seu gerente bancário dizer: “para aumentar seu limite de crédito, preciso que você compre um título de capitalização, faça um seguro ou passe a investir conosco em previdência privada ou outro tipo de investimento”.

Essa é a atitude que mostra o gerente agindo segundo os interesses do banco e não segundo os seus, então fique atento!

Os benefícios de um assessor de investimentos independente

  1. Ele não está vinculado a nenhuma instituição que tenha “produtos financeiros”, logo, não tem obrigação de oferecer serviços exclusivos de uma instituição;
  2. Os seus interesses são os dele, afinal, se ele não te atender bem ou se você perceber que não está alcançando aquilo que desejava, poderá simplesmente deixar de ser cliente daquele profissional e encontrar outro;
  3. Ele pode orientá-lo para que seus investimentos sejam diversificados até mesmo com relação à instituição financeira. Pode te indicar, por exemplo, que uma parte de sua verba fique em um banco e outras partes em outras corretoras, baseado nas taxas de administração e nos percentuais que cada uma oferece;
  4. Ele entende sua situação no curto, médio e longo prazo, e isso permite que oriente cada uma das ações e dos investimentos baseados em seus objetivos. Por exemplo, ele pode sugerir que você cancele um ou mais cartões de crédito. Será que seu gerente faria essa sugestão?

Como posso melhorar meus investimentos?

Existem diversas corretoras e gestoras que disponibilizam bons produtos financeiros mesmo ao investidor com poucos recursos financeiros.

Hoje, com o auxílio da internet, é possível adquirir um bom conhecimento sobre o assunto. Mas um ponto é importante, bancos e corretoras de valores são vendedores de produtos remunerados por taxas que recebem das transações realizadas ou dos investimentos escolhidos.

É imprescindível o auxílio de um profissional isento e devidamente certificado – um assessor de investimentos – para fazer uma avaliação mais profunda das características do investidor e montar uma carteira de investimentos adequada ao seu perfil e necessidades.

Conheça uma excelente empresa de assessoria de investimentos!

Você já conhecia a função de assessor de investimentos? Ainda ficou com dúvidas?

Compartilhe conosco sua experiência deixando um comentário em nosso post!

Follow

About the Author

Jonathan B Camargo, Co-Fundador do Blog London Capital e assessor de investimentos na New York Capital empresa de assessoria de investimentos que tem como objetivo exclusivo assessorar pessoas físicas de elevado patrimônio, holdings familiares e empresas de participações com alta disponibilidade líquida para investimentos, sempre valorizando a privacidade dos negócios, aliada à solidez da XP INVESTIMENTOS.