Entenda a importância de poupar dinheiro | London Capital | O Seu Melhor Investimento

Entenda a importância de poupar dinheiro

By Jonathan Camargo | Poupança

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

out 20
Entenda a importância de poupar dinheiro

Um dos grandes ensinamentos sobre a segurança financeira fala da necessidade de construir uma poupança. Poupar dinheiro funciona, principalmente, como garantia de uma margem de manobra e ampliação do espectro de escolhas possíveis frente a diversas situações. A poupança traz flexibilidade financeira, estabilidade e tranquilidade no futuro.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar o [EBOOK] Aposentadoria Tranquila. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Neste ebook você vai poder compreender mais afundo sobre a importância de se preparar para o futuro e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

A saúde financeira é um dos principais fatores que condicionam uma vida satisfatória: o dinheiro é um instrumento para concretizar metas e vontades. Para isso, é importante guardá-lo e planejar o seu uso consciente. Entenda mais sobre por que poupar e como administrar o seu dinheiro:

Por que poupar dinheiro?

  • Em períodos de crise econômica e recessão, dinheiro guardado ajuda a trazer tranquilidade. A poupança pode ser vista, em contextos de instabilidade financeira, como um plano B que pode ser acessado caso a situação se complique. Numa situação de crise, é mais difícil obter crédito e o dinheiro em conta e de reserva se tornam fundamentais.
  • Imprevistos acontecem e é importante levá-los em consideração na construção de planos e de novos hábitos financeiros. Acidentes, problemas de saúde e desemprego, entre outras situações, podem desencadear uma série de problemas, que geralmente exigem mais gastos do que o previsto. É importante ter dinheiro em poupança como forma de antecipar eventos dessa natureza — para você e sua família.
  • Geralmente, o pagamento de produtos e serviços à vista é incentivado por descontos e outras vantagens, enquanto os financiamentos implicam em custos acrescidos (juros e multas) e podem ser acompanhados de dificuldades junto às entidades financeiras. Mais uma vez, a reserva de dinheiro minimiza o stress associado à relação com o dinheiro.
  • A poupança é a principal fonte de investimentos privados, e garante que o dinheiro não só seja guardado, como multiplicado. Assim, produz uma segunda fonte de renda, importante para o crescimento financeiro, profissional e pessoal. É interessante guardar dinheiro e, a partir de um montante acumulado, começar a investir.
  • A reserva em dinheiro e o retorno de investimentos trazem mais flexibilidade à vida profissional. Com mais tranquilidade, você poderia recusar trabalhos indesejados, trocar de emprego, investir em novos projetos ou apenas trabalhar menos e se dedicar a hobbies e outras paixões.
  • Muitas pessoas se preocupam com a economia de dinheiro para construir uma poupança e rede de investimentos que garantam uma aposentadoria tranquila e compatível com o estilo de vida enquanto trabalhadores assalariados. É possível juntar dinheiro suficiente, a partir de renda mensal, que possibilite ganhos significativos em investimentos durante os anos de aposentadoria.

Como economizar dinheiro?

Para economizar dinheiro, é necessário transformar hábitos financeiros e, principalmente, estabelecer metas que devem ser seguidas à risca. É difícil ter disciplina, cortar gastos e determinar quais tipos de consumo são necessários e importantes para você e sua família. Por isso, é fundamental manter o compromisso de guardar, periodicamente, uma porcentagem preestabelecida da renda, de modo a chegar a um objetivo de montante. Geralmente, poupar dinheiro de maneira aleatória torna o processo mais ocasional, relapso e com piores resultados.

Comece com uma porcentagem mais modesta e assuma o compromisso por um período. O ato de poupar vai contribuir para uma reeducação financeira e, com o passar do tempo, você pode estabelecer metas ainda maiores com um retorno mais efetivo e rápido, principalmente se a economia for motivada por um objetivo a ser posto em prática (por exemplo, a compra de um carro ou uma viagem). Se você ganhar dinheiro de forma inesperada, guarde essa quantia para considerar, com cuidado, para o que deverá ser usada.

Faça planos

Vá além do exercício de poupar uma parcela mensal da sua renda e faça um planejamento financeiro pessoal de economia, com metas de curto, médio e longo prazo. A partir dos seus objetivos, você consegue definir o seu comportamento em relação à contenção de despesas, tipos de gastos e o trabalho que se deve ter para alcançá-los. Seu planejamento financeiro depende das suas prioridades, de determinar aquilo que é mais importante para você e para a sua família, e se algumas metas dependem de outras dentro dos seus planos.

Os objetivos de longo prazo consideram o seu status financeiro futuro, em 5, 10 ou 20 anos, por exemplo. Reflita sobre suas vontades e planos de vida, estude os gastos necessários para alcançá-los e então determine a economia necessária, dentro do tempo disponível.

Registre as suas despesas

No geral, fazer economia implica em reduzir gastos sem privar você ou a sua família do que é importante no presente, seja por necessidade ou vontade. Assim, você deve estudar as suas despesas: crie o hábito de anotar e fazer uma planilha com todos os gastos mensais. É imprescindível que esse registro seja feito de forma contínua. Divida as despesas em categorias, como casa, supermercado, lazer e compras diversas.

Com as informações em mãos você pode identificar a origem dos seus gastos e ainda designar uma porcentagem máxima da sua renda a ser destinada para cada categoria, por exemplo. Pergunte-se: quanto eu ganho e quanto eu preciso gastar? Determine quais desses gastos podem ser substituídos por produtos e serviços mais baratos, quais investimentos podem ser feitos para posteriormente abater custos e o que é supérfluo e pode ser simplesmente cortado.

Quanto juntar por mês?

O mais recomendado é que, para dar início ao processo de poupar dinheiro, você guarde pelo menos 10% do salário mensal. Como já tratado, os 10% podem ser vistos como um exercício inicial de economia e, com metas e plano de despesas feitos, é possível definir uma porcentagem ajustada às suas necessidades específicas. Assim, o quanto juntar por mês varia caso a caso e depende da renda fixa, dos gastos fixos e das possibilidades de contenção de custos. Para os jovens em início de carreira, quando ainda moram na casa dos pais, é interessante fazer uma poupança ainda maior. É possível, nessa época, guardar até 40% da renda mensal.

Frente a objetivos diferentes, de curto e longo prazo, a parcela de dinheiro a ser poupada pode variar no correr da vida. Mas tenha em mente sempre um valor mínimo para nunca deixar de ter uma reserva financeira — e o ideal é que esse valor não seja inferior aos 10% recomendados. Mesmo que a quantia guardada vá além dos seus planos no momento, lembre-se de que objetivos podem mudar e imprevistos podem acontecer. O importante é definir um valor percentual que seja confortável e que dê condições de desfrutar a vida e ao mesmo tempo de assegurar um futuro estável e mais tranquilo.

Já abriu a sua poupança? O que você acha mais difícil ao poupar dinheiro? Conte para a gente nos comentários!

Ah e não esquece de baixar o [EBOOK] Aposentadoria Tranquila.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B. Camargo, empreendedor, planejador e educador financeiro, formado em Administração de Empresas, certificado como Agente Autônomo de Investimentos pela CVM (2012), pelo Programa de Qualificação Operacional - PQO, como Profissional Financeiro Ambima Serie 20 – CPA 20. Especialista em investimentos e planejamento financeiro, ingressou no mercado financeiro em 2010, com passagens por instituições como Bradesco (Corporate Bank) e XP Investimentos. Trabalha com o intuito de transferir conhecimento aos seus clientes e ajudar a transformar seus objetivos em realidade.