8 Passos para Aprenda Como Criar um Plano de Investimentos Para Você

8 Passos para Aprender Como Criar um Plano de Investimentos

By Tatiana Mallmann

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Aprenda_como_criar_um_plano_de_investimentos_para_você

Com um cenário econômico cada vez mais complicado, juntando inflação alta, juros elevados e desemprego crescente, torna-se mais importante que as pessoas saibam administrar seu dinheiro. Agora, mais do que nunca, é preciso saber se planejar financeiramente, e, para isso, uma coisa é essencial: saber investir.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar um dos nossos [EBOOKs LONDON] link aqui. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Os assuntos são variados, desde aposentadoria a investimentos específicos, através destes conteúdos, procuramos passar estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Conseguir se organizar num período de crise pode parecer difícil inicialmente, mas saiba que agindo corretamente, o sonho de conquistar seus objetivos financeiros acaba ficando mais fácil do que se imagina. Por isso, separamos neste artigo algumas informações essenciais para você criar um bom plano de investimentos e cuidar melhor de suas finanças. Confira:

 

Dicas para criar um plano de investimentos pessoal

Criar um plano de investimento requer um pouco mais do que apenas separar um dinheiro por mês e aplicar em alguma opção. Para que o plano realmente dê certo, é importante entender onde você está e o que você quer realizar com seu dinheiro. Será a partir dessas informações que você vai definir como atingir suas metas e selecionar as melhores alternativas para alcançá-las.

Abaixo listamos as principais dicas para você aprender a criar um plano de investimento pessoal.

1. Avalie sua situação financeira atual

Primeiramente, esteja ciente de quanto você tem disponível para investir. Organize seu orçamento pessoal e descubra quanto você pode poupar de sua renda para aplicar em seus investimentos. Entenda que, antes de tudo, uma vida financeira tranquila não depende apenas de quanto você ganha de salário ou de rendimentos em suas aplicações, mas sim de bons hábitos financeiros cultivados ao longo do tempo.

Não se esqueça também de reservar uma poupança de emergência antes de começar a investir para proteger a si mesmo se acontecer algo inesperado (perda de emprego, lesão ou doença, etc.). A dica é aplicar esse dinheiro em investimentos de curto prazo, de forma separada de todo o restante do seu capital, para que ele possa estar disponível facilmente para ser resgatado e usado a qualquer momento.

2. Descubra qual o seu perfil de investidor

O seu perfil determinará a quantidade de risco que você está disposto a assumir. Pessoas conservadoras deverão investir em aplicações mais seguras, e investidores mais agressivos devem dar preferência a papéis mais arriscados. Por isso, é importante que antes você se informe bem e entenda o que é investimento e quais são as alternativas para saber melhor o caminho mais adequado para você.

Lembre-se de que ao escolher investir em uma aplicação, você perde a oportunidade que todas as outras opções te darão. Muitas vezes, quando você assume menos risco, terá uma rentabilidade menor. Por outro lado, ações são mais arriscadas do que os títulos de renda fixa (como Tesouro Direto e de poupança), porém costumam ter um retorno bem maior.

3. Estabeleça seus objetivos

Defina metas para seus investimentos. O que você quer fazer com o dinheiro que você faz de seus investimentos? Você quer se aposentar mais cedo? Você quer comprar uma casa? Investir em uma viagem ou nos seus estudos? Tudo isso te dará um direcionamento maior e mostrará de que forma você deve organizar seus investimentos. É fundamental definir bem os seus sonhos e ter disciplina para alcançá-los.

Será baseado nesses objetivos que você criará um plano de ação para seus investimentos. Por exemplo, se sua meta é comprar é pagar a faculdade do seu filho quando ele tiver 18 anos, deve começar a poupar e investir prudentemente a cada mês uma certa quantia para chegar ao valor total desejado. Nesse caso é melhor estabelecer uma estratégia de aportes periódicos em um investimento moderado em vez de aplicar tudo de uma vez em uma alternativa de alta rentabilidade, porém mais arriscada.

4. Selecione investimentos apropriados para sua idade

De um modo geral, quanto mais jovem você for, mais risco poderá assumir. Isso é porque você terá mais tempo para se recuperar de uma queda no mercado ou da perda de valor em um determinado investimento.

Se você está no início de sua vida produtiva, é recomendável alocar mais de seu portfólio em investimentos mais rentáveis e arriscados. Porém, se você está se aproximando da aposentadoria, destine mais do seu capital para opções mais conservadoras, como aplicações em renda fixa e papéis de empresas mais tradicionais.

5. Estabelecer um cronograma para seus objetivos

Em quanto tempo você quer alcançar seus objetivos financeiros? Se você estiver interessado em obter um grande retorno no seu investimento rapidamente, então vai escolher investimentos mais arriscados, mas que, por outro lado, têm o potencial de retorno significativo. Se você estiver interessado em construir riqueza devagar, deverá escolher os investimentos que geram um retorno mais lento ao longo do tempo.

6. Diversifique seus investimentos

Uma velha máxima do mundo dos investimentos é que você não deve colocar todos os ovos na mesma cesta. Por isso, diversificar sua carteira por vários tipos de investimentos é fundamental para se proteger e garantir melhores rentabilidades. Considere sempre investir parte de seu capital em opções relativamente seguras, como parte de uma estratégia de proteção. Essa diversificação ajuda a prevenir prejuízos, pois perdas sofridas em um investimento seriam compensadas pelos ganhos em outros.

Por exemplo, você pode optar por colocar uma parte de seu dinheiro em ações para garantir uma rentabilidade alta para sua carteira, outra parte em títulos de renda fixa para trazer solidez e segurança a seu capital, e colocar o restante em uma conta-poupança para ter um pouco de liquidez caso necessário. Ajuste essas porcentagens e defina em quais investimentos aplicar de modo que eles estejam alinhados com seus objetivos financeiros.

7. Estude sobre o assunto e procure ajuda especializada quando necessário

Há muitas informações sobre o mercado financeiro que você precisa saber para montar um plano de investimento. Familiarize-se com alguns dos princípios básicos e descubra o que pode funcionar para você. Não se esqueça de que para cuidar melhor do seu bolso, a melhor ação possível é investir em sua educação financeira.

Se você estiver incerto sobre como configurar um plano de acordo com seus objetivos e seu perfil de risco, a ajuda de um assessor financeiro pessoal pode ser muito útil.

8. Avalie o seu progresso e mude quando necessário

Monitore seus investimentos ao longo do tempo e verifique se eles estão funcionando de acordo com seus objetivos. Se não, reavalie seus investimentos e determine onde as mudanças precisam ser feitas. Identifique e corrija possíveis erros em seus investimentos, e saiba que mesmo o melhor plano de investimento pode sofrer mudanças devido a diversos fatores, desde a situação na economia até problemas pessoais. Entenda que, se as circunstâncias forem favoráveis, você pode incrementar seus investimentos para obter maiores resultados e alcançar mais rapidamente seus objetivos.

Depois de todas essas dicas, não há mais desculpas para não colocar seu plano de investimento pessoal em prática! Gostaria de saber mais sobre? Baixe agora gratuitamente o nosso e-book Desmistificando Investimentos e aprenda tudo sobre o tema!

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

About the Author

Tatiana Mallmann, é formada em Administração de Empresas. Ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Como empreendedora e educadora financeira, trabalha para ajudar pessoas e famílias a obter tranquilidade financeira.