Como definir os objetivos dos seus investimentos financeiros? | London Capital | O Seu Melhor Investimento

Como definir os objetivos dos seus investimentos financeiros?

By Jonathan Camargo | Planejamento de Despesas

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

mar 18

Para fazer investimentos financeiros de sucesso, não basta simplesmente escolher algumas aplicações e esperar seus rendimentos. É imprescindível definir bem seus objetivos para otimizar rendimentos e aproveitar ao máximo o potencial de seu patrimônio.

Para que você possa colocar isso em prática, preparamos algumas informações e dicas sobre como definir objetivos concretos para seus investimentos financeiros. Confira:

Aonde você quer chegar?

Ter objetivos financeiros concretos e definidos significa, entre outras coisas, saber exatamente aonde você quer chegar por meio de seus investimentos. Quais são seus sonhos? Ter uma aposentadoria tranquila? Garantir um futuro financeiro para sua família e seus filhos? Adquirir bens imóveis e expandir seu patrimônio? Esses são apenas alguns dos exemplos de objetivos que você pode procurar ao fazer uma aplicação.

Saiba o que fazer para definir seus objetivos

Todos querem fazer seu dinheiro render, quem sabe até mesmo fazer com que o dinheiro trabalhe por você — e não o contrário. No entanto, para definir exatamente quais objetivos são mais adequados para seu futuro pessoal e profissional, é preciso seguir alguns passos simples e práticos.

Confira os aspectos que você deve ter em mente para definir seus objetivos financeiros:

Seja específico

Ao definir seus objetivos financeiros, especificidade é muito importante. Saiba exatamente quais são as faixas de rendimento que você espera de cada investimento, quanto está disposto a aplicar em títulos mais arriscados, quanta perda é possível suportar, etc.

Não adianta estabelecer objetivos e limites muito abstratos, como “ficar rico” ou “ganhar muito dinheiro”. Saiba precisamente o que você espera para o futuro e, dessa forma, você terá como acompanhar o desempenho de suas aplicações.

Faça uma avaliação minuciosa de seu patrimônio e possibilidades

Além disso, procure tratar de forma realista sua condição financeira. Esse exercício é como tirar uma fotografia exata da situação patrimonial que você vive atualmente: há dívidas pendentes? Quanto você pode investir inicialmente? E quanto você pode alocar para investimentos nos meses seguintes?

Ter as respostas para essas perguntas te ajuda a estabelecer objetivos mais realistas e condizentes com sua atual condição financeira. Em vez de investir além de suas possibilidades, o que pode inclusive causar perdas patrimoniais e endividamento, você acaba aplicando de forma mais inteligente e realista.

Seus objetivos devem ser mensuráveis

Objetivos financeiros devem ser possíveis de serem medidos com o tempo. De nada adianta estabelecer metas abstratas para dadas incertas porque nada disso pode ser acompanhado com o tempo. Ao saber exatamente quanto se espera de cada investimento, em determinado período, você tem como reavaliar investimentos que não saem como o esperado, acompanhar as tendências de crescimento de certos setores, confirmar suas expectativas, entre outros aspectos.

Pense em curto, médio e longo prazo

Cada investimento tem seu tempo próprio de maturação. Alguns são ideais em curto prazo, para investidores que não querem deixar seu dinheiro perder valor com a inflação, mas que vão precisar utilizar esse dinheiro em alguns meses, por exemplo. Outros oferecem melhores condições em médio prazo, com reduções progressivas da incidência de imposto de renda, isenção de taxas de resgate, acompanhamento de taxas de juros, etc. Há também investimentos com mais vantagens em longo prazo, cujo resgate antes do período mínimo de aplicação gera taxa para o investidor e perdas de rendimentos.

Ou seja, é preciso pensar, primeiramente, em suas necessidades financeiras. O valor aplicado precisa estar disponível imediatamente para resgate? Ou você pode se permitir não contar com a liquidez desse valor durante um tempo? Essas características são essenciais para fazer seu planejamento financeiro e definir exatamente como será composto seu portfólio de aplicações. Idealmente, haverá uma diversificação de investimentos em curto, médio e longo prazo. Em geral, quanto maior for a parcela de investimentos aplicados em longo prazo, melhores serão seus rendimentos no futuro.

Tenha em mente seu perfil como investidor

Não adequar seus investimentos a seu perfil de investidor é um dos principais erros que você poderá cometer no mundo das finanças. Na prática, o que isso significa? Se você tem um perfil mais conservador, com muita aversão a riscos e flutuações de mercado, é pouco provável que seus objetivos financeiros sejam lucros extraordinários a curto prazo. Para obter esse tipo de rendimento, é possível investir em ações de alto risco, que, justamente por essa razão, oferecem maiores taxas de retorno (quando não houver perdas).

Saiba exatamente quanto poderá investir em cada aplicação

Ter uma noção exata de seu portfólio de aplicações significa, entre outras coisas, conhecer sua capacidade de investimento. Tenha em mente quanta renda extra será possível aplicar em cada mês, bem como quais aplicações serão beneficiadas. Além disso, procure considerar os impostos, taxas de manutenção e opções de resgate de cada aplicação. Essa estratégia faz com que seu planejamento financeiro seja minucioso e, por essa razão, também mais previsível. E a maior previsibilidade contribui para objetivos financeiros mais concretos e realistas.

Priorize seus objetivos

Para fazer boas escolhas, é preciso também priorizar suas necessidades. Muitas vezes, um objetivo financeiro é apenas o meio para que você possa obter uma renda ou patrimônio suficiente para realizar outros investimentos. Tome como exemplo um jovem profissional que vive de aluguel e quer adquirir o próprio imóvel. Antes de concretizar seu objetivo final, ele poderá economizar dinheiro suficiente em outras aplicações para dar entrada em um imóvel, financiar o valor restante e se mudar para a casa própria.

Posteriormente, quando quitar o financiamento do imóvel e por não ter mais que lidar mensalmente com despesas de aluguel, poderá pensar em novos investimentos para aplicar sua renda pessoal.

Reserve dinheiro para situações emergenciais

Independentemente de sua situação financeira, profissional e pessoal, é imprescindível que você aloque parte do patrimônio para situações emergenciais, como doenças na família, reformas inesperadas, etc. Ou seja, devem ser aplicações de alta liquidez, cujo resgate é facilitado. Nunca se sabe o que pode acontecer no futuro, então um de seus objetivos financeiros deve ser justamente ter tranquilidade financeira para lidar com essas situações, caso elas apareçam.

Conte com a ajuda de um planejador financeiro

Um planejador financeiro é o profissional que pode te ajudar na difícil empreitada de definir os objetivos mais possíveis e adequados à sua realidade financeira. Além de fazer uma análise minuciosa de sua situação financeira e necessidades pessoais, ele vai te ajudar a encontrar as melhores opções de aplicação no mercado, sugerir estratégias de investimento para seu perfil, entre outras vantagens.

Com essas dicas em mãos, fica mais fácil definir objetivos concretos para seus investimentos financeiros. Aproveite também para assinar nossa newsletter e ficar por dentro de outras postagens como essa!

Quem sabe este e-book também lhe seja útil: Desmistificando Investimentos

 

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B. Camargo, empreendedor, planejador e educador financeiro, formado em Administração de Empresas, certificado como Agente Autônomo de Investimentos pela CVM (2012), pelo Programa de Qualificação Operacional - PQO, como Profissional Financeiro Ambima Serie 20 – CPA 20. Especialista em investimentos e planejamento financeiro, ingressou no mercado financeiro em 2010, com passagens por instituições como Bradesco (Corporate Bank) e XP Investimentos. Trabalha com o intuito de transferir conhecimento aos seus clientes e ajudar a transformar seus objetivos em realidade.