Como definir e cumprir metas financeiras para o próximo ano? | London Capital | O Seu Melhor Investimento

Como definir e cumprir metas financeiras para o próximo ano?

By Tatiana Mallmann | Planejamento de Despesas

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

fev 11
metas financeiras

O começo de ano é sempre visto como o período em que renovamos nossas resoluções, objetivos e sonhos para o futuro. E, querendo ou não, grande parte desses planos envolve um elemento comum: dinheiro. Seja para adquirir bens e serviços, buscar investimentos melhores ou aumentar nosso patrimônio, todos nós teremos que pensar na saúde do nosso bolso ao longo do ano que se inicia. Por isso, estabelecer e avaliar metas financeiras acaba sendo um dos elementos primordiais nesse momento.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar um dos nossos [EBOOKs LONDON] link aqui. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Os assuntos são variados, desde aposentadoria a investimentos específicos, através destes conteúdos, procuramos passar estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Porém, tais metas são bem mais do que meras resoluções em um papel. Elas devem fazer parte de um planejamento financeiro de longo prazo, composto de estratégias que devem ser seguidas com disciplina para chegar ao resultado final. Para te ajudar a defini-las corretamente, listamos alguns pontos importantes. Confira!

Como definir minhas metas financeiras?

1. Entenda que metas não são desejos

Muitos erram já no início ao fazer uma lista de desejos em vez de uma definição de metas. O problema aqui não é almejar coisas grandiosas, mas sim achar que apenas escrever suas vontades num papel fará com que todos seus objetivos se realizem automaticamente. Defina metas concretas pelas quais você consiga trabalhar ao longo do ano, e deixe os sonhos para a hora que você dormir.

2. Seja específico

Tente ser o menos genérico possível ao estabelecer suas metas financeiras. Especifique bem o seu objetivo, traçando o que quer com clareza e detalhamento. Se sua meta é acumular um patrimônio que lhe permita uma aposentadoria confortável, pergunte-se: o que é confortável para você? Qual seria padrão de renda necessário para viver bem no futuro? Como será a composição de seus gastos daqui a 30 ou 40 anos? Será com base nisso que você terá condições de começar a planejar sua aposentadoria de forma correta.

A questão aqui é sempre tentar quantificar ao máximo tudo aquilo que você quer. Em vez de dizer “vou tentar juntar algum dinheiro”, seja direto e estabeleça valores: você poupará 30% da sua renda mensal de 10 mil reais, por exemplo, aportando mensalmente 40% desse valor num fundo de ações, 40% num investimento de renda fixa e o restante em um fundo multimercado.

O importante é sempre optar por dados que possam ser mensuráveis, pois são eles que depois te informarão exatamente se você está próximo ou distante de atingir a meta desejada.

3. Seja realista

Estabelecer objetivos impossíveis de ser alcançadas é um dos principais motivos que leva as pessoas a desistirem de seus planejamentos. Portanto, evite colocar metas financeiras muito fora da realidade para não perder a sua motivação pelo caminho. Leve em conta os desafios do mundo real, pois muitas vezes nos esquecemos das várias limitações que surgirão com o tempo.

Concentre-se principalmente no seu orçamento e no que é possível realizar com ele, e, com a ajuda de uma calculadora e uma planilha, coloque tudo por escrito! Entenda que não faz sentido querer comprar uma BMW X6, por exemplo, cujo preço é de mais de 300 mil reais, se você tem uma renda mensal de 5 mil. Foque em coisas viáveis e factíveis, que caberão no seu bolso, como poupar 5% de sua renda para custear os estudos do seu filho no futuro, por exemplo.

4. Revise suas metas financeiras

Reveja sua lista de objetivos e tente ao máximo ser honesto com você mesmo. Opte por priorizar as metas que realmente farão a diferença na sua vida financeira e exclua as que não são tão relevantes ou possíveis de atingir. Lembre-se de que tudo faz parte de um planejamento maior de longo prazo, e que o seu compromisso deve ser mais com o futuro do que com o agora.

Estabelecendo tudo de modo específico, evitando as resoluções vazias, e principalmente colocando no papel um planejamento claro de como você vai chegar lá, a chance de que suas metas sejam atingidas aumentam muito.

Como atingir essas metas?

Assuma o compromisso de que seus objetivos não serão apenas promessas de ano novo, esquecidas após algumas semanas. É possível atingir todas as metas financeiras que você estabelecer se você se comportar de uma forma organizada, disciplinada e coerente.

Além disso, esteja sempre atento às seguintes questões:

Quanto você poupa

Não vai adiantar nada se você gastar tudo que ganhar na mesma proporção. Para acumular uma quantia lhe possibilite alcançar suas metas financeiras, é preciso poupar de forma consistente. Analise seu orçamento e estabeleça um valor fixo que você guardará religiosamente todo mês. O mais recomendável é sempre algo em torno de 20% a 30% de sua renda mensal, mas cada caso é único e dependerá de sua condição pessoal.

Se seu objetivo é de prazo mais longo, obviamente você poderá guardar menos. Não se esqueça também de que é sempre prudente separar uma parte dessa quantia para formar um fundo de emergência, e que o valor a ser acumulado deverá permanecer separado.

Como você investe

Apenas poupar e guardar parte da sua renda não será suficiente. Na verdade, você perderá dinheiro se deixar tudo na poupança, pois atualmente os rendimentos dela são menores que a inflação. Para atingir suas metas, é primordial que você mantenha o comando sobre seu dinheiro e o faça trabalhar para você.

Já existem diversos tipos de investimentos melhores que a poupança, e se você ainda possui nenhum deles, não perca tempo: abra uma conta em uma corretora, defina seu perfil e procure a opção certa para você. Seja renda fixa ou variável, certamente alguma aplicação se encaixará no seu orçamento.

De que forma você se planeja

A falta de planejamento financeiro pessoal tem o potencial de causar muitos danos. Quem não tem controle sobre o próprio bolso acaba perdendo oportunidades incríveis de aplicar e multiplicar seu patrimônio por meio de investimentos, e corre o risco de arruinar suas finanças de forma definitiva.

Acabe já com isso! Procure organizar seu orçamento da forma mais disciplinada possível, e incorpore o controle de ganhos e gastos pessoais em sua vida não só como uma obrigação, mas como um hábito a ser cultivado. Se necessário, procure ajuda de profissionais especializados no tema, que te darão a orientação certa sobre planejamento e investimentos para que você se aja da forma adequada.

Planejamento financeiro é essencial

Independentemente de sua situação, é importante manter suas finanças sempre em dia. Eduque-se financeiramente, procure livros e materiais sobre o tema, analise as condições existentes e estude, pois quanto mais você souber sobre poupar, gastar e investir, mais segurança terá. Manter um sólido planejamento é essencial para atingir as metas financeiras que você definir e ter um ano mais cheio de realizações.

Gostou do artigo? Ficou com vontade de saber mais sobre planejamento e finanças pessoais? Deixe seu comentário!

Ah e não esquece de baixar um dos nossos [EBOOKs LONDON] link aqui.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

About the Author

Tatiana Mallmann, é formada em Administração de Empresas. Ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Como empreendedora e educadora financeira, trabalha para ajudar pessoas e famílias a obter tranquilidade financeira.