Milionários: Qual o Melhor Investimento para Quem Tem Muito Capital? | London Capital | Blog Investimentos e Finanças

Milionários: Qual o Melhor Investimento para Quem Tem Muito Capital?

By Jonathan Camargo

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Qual o melhor investimento para quem tem muito capital disponivel

Quando se tem muito capital disponível, o melhor a fazer é investir para conseguir uma rentabilidade maior e uma construção mais rápida de patrimônio. A dúvida que surge, entretanto, é onde esses recursos devem ser alocados para gerar os resultados esperados. Nesse sentido, alguns investimentos se mostram vantajosos quando se fala em muito capital disponível.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar o [EBOOK] Gestão de Riqueza. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Neste ebook você vai poder compreender mais afundo sobre o assunto deste artigo com estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Como a proteção ao seu patrimônio também deve ser uma de suas preocupações, observe a seguir qual o melhor investimento para quem tem muito capital disponível!

 

Considere as LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos com lastro que ajudam a financiar as operações do setor imobiliário e do agronegócio. Considerados investimentos de renda fixa, elas rendem uma porcentagem do CDI e são rentáveis porque são isentas de Imposto de Renda.

Além disso, esse tipo de investimento possui garantia até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o que diminui os riscos sem afetar a rentabilidade. Esse é um investimento para quem tem muito capital disponível justamente porque os papéis são encontrados com menos frequência, o que faz com que o investimento inicial seja mais elevado. Por causa disso, algumas LCI ou LCA exigem um investimento inicial de R$ 100 mil.

Em busca de melhores resultados é necessário que o rendimento esteja acima de 85% em relação ao CDI, mas alguns papéis oferecem 100% do CDI. Nesse caso, um investimento de R$ 100 mil em uma LCA ou LCI que rendesse 100% do CDI e que durou dois anos renderia um montante de mais de R$ 119 mil ao final do período.

CDB é boa opção

Outra opção vantajosa para quem tem muito capital disponível é o Certificado de Depósito Bancário (CDB). Esse investimento serve, basicamente, para financiar as operações dos bancos, como os empréstimos. Em troca, os bancos remuneram seu investimento com uma taxa de juros que é calculada com base no CDI.

Dependendo da necessidade de crédito do banco a taxa pode ser mais ou menos elevada. Bancos de pequeno e médio porte e com mais dificuldades em captar recursos tendem a oferecer valores que extrapolam o CDI, chegando a 115% dessa taxa.

É importante notar, entretanto, que essa rentabilidade também vem acompanhada de riscos mais elevados: quanto menor for o banco ou quanto maior sua dificuldade em obter recursos, maiores os riscos para o seu dinheiro.

Apesar disso, assim como as LCI e LCA, o CDB possui garantia até R$ 250 mil pelo FGC. Com isso, dentro desse valor você pode investir com menos receio porque sabe que, de alguma forma, seu dinheiro estará protegido.

O único inconveniente do CDB é que ele é tributado pelo Imposto de Renda. Assim como outras opções, esse investimento está sob uma tabela regressiva de imposto, em que quanto maior for o tempo de aplicação, menos se paga — o menor valor a ser pago pelo imposto é de 15%.

Tesouro Direto pode ser considerado

É bem verdade que, depois da poupança, o Tesouro Direto é o que exige menor investimento inicial, pois há opções que começam a partir dos R$ 800. Isso, entretanto, não significa que você não pode investir se tiver muito capital disponível — pelo contrário.

Ao fazer esse tipo de investimento você comprará títulos de dívida pública que servem para financiar as operações do governo. Como o governo é considerado um bom pagador, os riscos são menores sem perder em rentabilidade.

Isso porque o Tesouro Direto oferece opções que são anexadas à inflação, como as aplicações de longo prazo, e também anexadas à taxa de juros Selic, que são as de curto e médio prazo. Além disso, há opções pré-fixadas e outras que contam com uma combinação de indexadores.

Além de evitar que você perca poder de compra — que é o que acontece ao investir na poupança —, esse tipo de investimento pré-fixado também garante uma rentabilidade entre 11 e 13% ao ano, como atualmente com elevação da taxa de juros.

Assim como o CDB, os investimentos no Tesouro Direto estão sujeitos à tabela regressiva do Imposto de Renda.

Ações e fundos multimercado entram na conta

Partindo para os investimentos de renda variável e com risco maior, as ações e fundos multimercado também são opções que podem ser benéficas se você tem muito capital disponível.

Esse tipo de investimento normalmente conta com uma rentabilidade mais elevada que as demais e, portanto, quanto mais dinheiro você investir, maiores serão os seus lucros. Ao mesmo tempo, entretanto, são opções de investimento muito sensíveis às flutuações do mercado, o que aumenta os riscos. Além disso, são investimentos que não têm garantia, fazendo com que a decisão seja mais arriscada.

Com uma boa atuação, entretanto, é possível alocar recursos em fundos de investimento, como de investimento imobiliário ou fundos multimercado, assim como em ações. Com uma boa administração é possível rentabilizar seu patrimônio de forma expressiva e administrando os riscos de foram adequada.

Diversificar a carteira de investimentos é fundamental

Independentemente do tipo de investimento escolhido é indispensável que ele não seja o único. Se você investe todo o seu capital em um só lugar, você passa a correr riscos muito maiores que de outra maneira, já que uma variação atípica pode fazer com que você perca boa parte de seu patrimônio.

Por isso, o mais interessante não é se perguntar qual o melhor investimento e, sim, quais os melhores investimentos. Com uma carteira diversificada, você não apenas aumenta as chances de ter uma rentabilidade média mais elevada como também evita esses riscos de comprometer o seu dinheiro.

Se você tem R$ 200 mil para investir, por exemplo, pode ser benéfico investir R$ 100 mil em uma LCA ou LCI e dividir o restante entre os outros investimentos. Tudo vai depender, é claro, do seu perfil de investimento e de apetite ao risco, mas no geral uma diversificação de carteira não é apenas benéfica, como também é necessária.

Se você tem muito capital disponível, vai se deparar com opções extremamente vantajosas como as LCI e LCA, o CDB, o Tesouro Direto e também investimentos de renda variável como ações e fundos multimercados. Seja qual for a sua escolha, entretanto, é indispensável apostar em uma diversificação de carteira para proteger seus investimentos.

Está com alguma dúvida para avaliar um investimento? Não deixe de comentar e compartilhar!

Ah e não esquece de baixar o [EBOOK] Gestão de Riqueza.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B Camargo, Co-Fundador e assessor de investimentos na New York Capital empresa de investimentos que tem como objetivo exclusivo assessorar pessoas físicas de elevado patrimônio, holdings familiares e empresas de participações com alta disponibilidade líquida para investimentos, sempre valorizando a privacidade dos negócios, aliada à solidez da XP INVESTIMENTOS.