Plataforma de Investimentos: Quais as Vantagens e Como Funciona?

Plataforma Aberta de Investimentos: Quais as Vantagens e Como Funciona?

By Tatiana Mallmann

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Plataforma aberta de investimentos: quais as vantagens?

Depois de anos de muito esforço na construção de um patrimônio, você conseguiu juntar dinheiro para se dedicar a investimentos, mirando chegar com conforto à “Terceira Idade” e sem depender do regime público de previdência? Então, parabéns! Você é um dos brasileiros que começaram a construir o futuro com o plano correto em mente. Entretanto, para tornar metas realidade é necessário mais do que boas ideias: é preciso ter os instrumentos e a assessoria certos.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar o [EBOOK] Gestão de Riqueza. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Neste ebook você vai poder compreender mais afundo sobre o assunto deste artigo com estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Hoje você entenderá que adquirir um bom montante de dinheiro, mas deixá-lo nas mãos dos bancos é tão eficaz quanto comprar um transatlântico e entregá-lo a uma criança: em ambos os casos, dificilmente se chegará a algum lugar. Saiba agora como uma plataforma de investimentos pode impulsionar seu crescimento financeiro:

 

Aprenda a fazer o que é melhor para seu bolso e não para o seu gerente

O conflito de interesses entre bancos e clientes é notório, por mais que seus gerentes e diretores de marketing se esforcem para ocultar essa contradição inerente à existência dessas instituições. Um banco lucra com juros exorbitantes cobrados sobre seus devedores, assim como com produtos próprios que pouco agregam ao patrimônio dos correntistas. Entretanto, experimente sentar-se à frente de um gerente e solicitar orientação para realizar aplicações financeiras. Será lhe oferecido uma montanha de títulos de capitalização, fundos de previdência com ínfima rentabilidade, adesão a consórcios, entre outros produtos que podem não ser interessantes para você, mas certamente ajudarão na promoção de seu gerente de contas.

Por que o cafezinho de seu banco premium/private é o mais caro do Brasil?

Poucas opções para investimento

Se a aplicação mais rentável do mercado, nesse momento, for um produto de outra instituição, esqueça a possibilidade de seu gerente apresentá-lo. Você terá que se contentar com os produtos do próprio banco, ainda que sejam péssimas aplicações.

Metas irreais e pressão sobre a gerência comprometem a lisura na orientação financeira

Por mais bem-intencionado que seja um gerente, ele recebe instruções claras de vender o que há no portfólio do banco. Isso certamente contaminará suas opiniões e poderá prejudicar seu crescimento financeiro.

Ausência de conhecimento especializado no mercado financeiro

Muitos gerentes de banco não têm as certificações necessárias para atuar como assessor de investimentos (e nem tempo para isso!), além de não acompanharem o mercado como o fazem profissionais de alta qualificação, que se dedicam exclusivamente a esse assunto. Um planejador financeiro, por exemplo, tem expertise no mercado de investimentos, diversas certificações emitidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), bem como por organizações internacionais, como o Certified Financial Planner (CFP®), além de desvinculação com instituições financeiras, o que garante orientações imparciais.

Custos altos

Basta acessar o relatório tarifário de seu banco para perceber que só uma das partes lucra com a manutenção do seu patrimônio sob a tutela de um banco.

Plataforma de investimentos: autonomia para aproveitar as melhores oportunidades

Nos EUA, 80% do patrimônio dos investidores estão fora dos bancos. Por aqui, com o maior acesso à informação e a melhora substancial no nível de educação financeira dos brasileiros (ocorrida nos últimos anos), milhões de investidores têm transferido seu capital para corretoras de valores ou outras instituições especializadas em soluções financeiras, o que lhes garante, entre outras coisas, montarem suas carteiras como melhor lhes convier, além de negociarem títulos de forma autônoma por meio de um sistema de fácil interação, presente na tela de seu PC, tablet ou smartphone: bem-vindo a uma plataforma de investimentos!

Uma plataforma aberta de investimentos é uma interface criada especificamente para disponibilizar ao investidor todas as modalidades disponíveis no mercado financeiro. São sistemas estáveis, ágeis e com alto nível de segurança, dando ao investidor liberdade para escolher o melhor mix de investimentos que diversifique seu portfólio com muito mais rentabilidade do que os produtos bancários podem oferecer. E muito mais profissionalização na gestão de patrimônio.

Quais as vantagens e riscos no uso de uma plataforma de investimentos?

Uma plataforma de investimentos de excelência traz a real possibilidade de gerir seu patrimônio com rentabilidade e segurança, desde que, é claro, todo esse processo seja supervisionado por um profissional capacitado. Algumas vantagens:

Multiplicidade de produtos disponíveis

Você pode montar uma carteira com aplicações no Tesouro Direto, CDBs, ações da Vale, fundos de investimentos Votorantim Asset e LCI do Banco do Brasil, tudo ao mesmo tempo! O investidor direciona seus recursos para os ativos que lhe proporcionem maior rentabilidade, independente da instituição  (o melhor de tudo é que não há a necessidade de abrir uma conta em cada instituição).

Maior rentabilidade média

A possibilidade de escolher entre os melhores produtos do mercado, em conjunção com a assessoria de um expert em mercado financeiro, asseguram rendimentos líquidos mais robustos e regulares.

Custos menores

As taxas de administração nos fundos de investimentos negociados através de instituições bancárias, por exemplo, costumam ser muito superiores às cobradas por corretoras de valores (sobretudo, para os investidores de pequeno e médio porte). Além disso, as famosas “vendas casadas” podem elevar seu custo total a níveis bastante prejudiciais: o céu é o limite!

Layout estruturado

Um Home Broker (plataforma de investimento) de uma corretora de ponta, como a XP Investimentos, por exemplo, exibe no canto da tela inúmeras informações (caso de aplicação em Bolsa) que não são apresentadas nos sistemas de operação dos bancos, tais como as corretoras com maior volume de compra na última hora, negociações de estratégias automatizadas, gráficos para Análise Técnica, etc.

E quanto aos riscos?

O problema de investir no mercado financeiro está na aplicação e não em quem distribui os investimentos. Dessa maneira, os riscos de investir por meio de uma plataforma aberta de investimentos são os mesmos de aplicar recursos através de um banco. Na verdade, considerando a ausência completa de orientação por parte de gerentes de banco, podemos inferir que os riscos de investir por plataforma aberta são até menores, haja vista toda a supervisão e acompanhamento envolvido nas aplicações por meio de corretoras de valores.

Como faço para começar a investir em uma plataforma aberta?

No caso da XP Investimentos, uma das mais importantes corretoras independentes do Brasil, basta abrir uma conta gratuita, preenchendo um cadastro simples e rápido (também não há nenhuma cobrança mensal de manutenção). Você definirá o montante que será transferido para essa conta de investimento e, por meio de login e senha da plataforma, lhe será dado acesso ao internet banking da XP para fazer suas aplicações. Vale lembrar que alguns produtos mais sofisticados, como debêntures e letras de câmbio, são oferecidos exclusivamente por corretoras como a XP (dificilmente são encontrados nos portfólios bancários).

Um shopping de investimentos ao alcance de seu smartphone

Algumas das opções que você encontra nessas plataformas especializadas:

  • Renda Fixa (aplicações de baixo risco): Títulos Públicos, CDB, LC, LCI, LCA, Debêntures, FIDC, etc.;
  • Livre compra e venda de ações na BM&FBovespa;
  • Operações com BDRs (compra de ações de empresas dos EUA);
  • Fundos Imobiliários (FII);
  • Fundos de Investimentos: Referenciados, Renda Fixa, Multimercado, etc.;
  • Commodities agrícolas e financeiras para investimento no mercado futuro;
  • Negociação de moeda estrangeira;
  • Previdência Privada;
  • Seguros.

Ficou claro que se você tem um patrimônio acumulado, é ambicioso e almeja ter um futuro confortável, não faz sentido ficar amarrado aos interesses bancários. Por outro lado, também deve ter ficado evidente que, diante de tantas opções presentes no mercado financeiro, é condição para o sucesso de seus objetivos ter o auxílio de um profissional especializado.

Um planejador financeiro é um expert com visão macro do investidor (visão 360º). Ele auxilia os clientes a compreenderem como devem lidar com dinheiro, quais são seus objetivos de vida, caminhos necessários para potencializar seus ganhos, além de traçar um perfil para a formulação de estratégias focadas em resultados (atuação no mercado de investimento, propriamente dita). Esse profissional é uma espécie de coach, que centraliza suas atenções no acompanhamento de seu cliente em todos os aspectos da construção de seu patrimônio, subsidiando a utilização segura e eficiente de uma plataforma de investimentos.

Dúvidas? Deixe uma mensagem abaixo e teremos o prazer em lhe auxiliar na mudança de rumos no seu processo de acumulação de patrimônio!

Ah e não esquece de baixar o [EBOOK] Gestão de Riqueza.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

About the Author

Tatiana Mallmann, Co-Fundadora do Blog London Capital, formada em Administração de Empresas, ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Especialista em planejamento financeiro, gestão de risco, proteção do ativo humano, blindagem de patrimônio e sucessão empresarial.