Investimento em LCI: Realmente Vale a Pena Hoje em Dia?

Investimento em LCI: Realmente Vale a Pena Hoje em Dia?

By Jonathan Camargo | Investimentos

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

mar 27

Em tempos de crise econômica e conturbação no mercado financeiro, um tipo de investimento parece se sobressair e atrair cada vez mais interessados: a LCI. O motivo de tanto interesse? Além da isenção de tributos aliada à segurança da renda fixa, o cenário atual de altas taxas altas de juros tem garantido cada vez mais rentabilidade ao papel.

Porém, para você que ainda não conhece muito bem sobre a LCI ou não entendeu por completo como ela funciona, não se preocupe: vamos apresentar neste artigo um resumo completo de suas características — sua rentabilidade, taxas, impostos, ricos e dicas diversas.

Descubra se o investimento em LCI vale a pena para você e aprenda como investir nessa aplicação da melhor forma possível!

 

O que é LCI?

A sigla LCI significa Letras de Crédito Imobiliário. Elas funcionam como um empréstimo que os investidores fazem em uma instituição financeira: você adquire o papel e o banco estabelece um “contrato” determinando quanto irá te pagar de juros em um determinado prazo. Após isso, as instituições usam os recursos captados pela LCI para fomentar exclusivamente o setor imobiliário — ou seja, quando você investe em uma LCI o seu dinheiro é usado para financiar compradores de imóveis.

Com isso, podemos dizer que esse é um investimento lastreado em créditos imobiliários, emitidos pelos bancos e financeiras e garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária imóvel.

Vantagens de investir em LCI

1. Rentabilidade elevada e segura

Existem duas modalidades de rentabilidade para as LCIs. Elas podem ser pré-fixadas, ou seja, terão um rendimento fixo e combinado no momento da aplicação. Esse tipo de papel é mais recomendado para períodos em que não se espera que a taxa de juros vá subir mais, pois o rendimento permanecerá num valor atrativo. Porém, na maioria das vezes, a LCI é do tipo pós-fixada, tendo sua rentabilidade variando de acordo com um percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) ou de outros. Essa opção é a mais indicada para tempos de alta na taxa de juros, pois assim os ganhos do papel acompanharão essa alta.

Ainda existem as LCIs com rentabilidade atrelada à inflação, que são uma espécie de híbrido entre pré e pós-fixada. Elas costumam pagar um valor percentual fixo mais um valor variável, que acompanha o índice de inflação (normalmente o IPCA). Essa modalidade é uma boa opção em momentos de inflação crescente, pois funciona como uma forma de proteger seu capital.

Com os altos juros e inflação elevada que temos atualmente, a rentabilidade das LCIs acabam ficando muito atrativas nas modalidades pós-fixada e atrelada à inflação.

2. Isenção de impostos

Uma das maiores vantagens da LCI é a sua isenção de imposto de renda para pessoas físicas. Ou seja, O governo não tributará os rendimentos que você conseguir obter através da aplicação em LCI. Dessa forma, a LCI se torna uma excelente alternativa para os seus investimentos, visto que outros papéis de renda fixa como CDB e Tesouro Direto sofrem cobrança de imposto de renda sobre os ganhos, variando de 15% a 22,% de acordo com o prazo de vencimento do papel.

3. Ausência de taxas

Na LCI não existe cobrança de taxas de administração ou de performance. Como esse será um empréstimo direto de dinheiro para o banco, a lógica do investimento será a mesma de se aplicar em caderneta de poupança ou CDB. Porém, de acordo com o meio de aquisição do papel — por meio de uma corretora, por exemplo — poderão ser cobradas taxas no momento da aplicação. Também pode haver ou não a cobrança de taxas de custódia.

4. Segurança

A garantia para os valores aplicados em LCI é dada pelo Fundo Garantidor de Créditos. O FGC assegura a maior parte dos investimentos de renda fixa, no valor de até 250 mil reais por instituição financeira. Isso torna viável o investimento em bancos menores e que pagam rendimentos melhores, pois todo o risco dessas instituições quebrarem ou falirem são mitigados pela garantia do FGC.

Existe a limitação de não se poder ter mais de 250 mil aplicados em uma única instituição financeira. Por isso, se a intenção for investir mais do que esse valor e ao mesmo tempo aproveitar as ótimas rentabilidades dos bancos menores, uma dica é repartir seus investimentos em LCI entre dois ou mais bancos.

Como investir em LCI?

Para se investir em LCI, tenha em mente primeiro a quantia que você deseja aplicar. Lembre-se de que diversas instituições exigem um valor mínimo para isso. Essas quantias variam de uma instituição financeira para a outra, porém, os bancos mais tradicionais comumente estabelecem o piso de R$ 50.000,00. Algumas instituições, como corretoras, oferecem uma acessibilidade maior a esse tipo de investimento, permitindo a realização de aplicações com valores mais baixos, por volta de R$ 5.000.

Com a quantia em mãos, encontre alguma plataforma autorizada a intermediar a compra e venda desses ativos. Dê preferência para empresas que ofereçam uma gama maior de produtos do tipo para que você tenha mais alternativas e possa encontrar condições melhores. A dica é abrir a conta em uma corretora, pois muitas delas costumam oferecer produtos com aplicações mínimas bem mais baixas. Depois disso, opte pelo LCI de sua preferência (pré-fixada ou pós-fixada). Por último, lembre-se de ficar atento à data de vencimento do título, tendo ciência de que quanto maior o prazo maior serão os rendimentos, e ao mesmo tempo menor será a liquidez do ativo.

Outro fato que você deve levar em conta ao investir em LCI é a existência de um prazo mínimo para resgate, que costuma ser de pelo menos 60 dias. Ou seja, se você precisar da quantia num prazo curto, talvez esse não seja o papel mais interessante para se investir, pois você terá problemas de liquidez. Para essa situação, recomendamos a leitura do nosso post Como investir meu dinheiro a curto prazo?

Vale a pena investir em LCI?

Depende. O importante aqui é avaliar seu perfil de investidor, sua situação financeira e verificar se a LCI consegue entrar em seu portfólio de investimentos. Analise e compare a LCI com outras aplicações em renda fixa, levando em conta o rendimento, o prazo e a liquidez que você almeja. Não é recomendável, por exemplo, investir em LCI quando você precisa dispor do dinheiro aplicado em menos de 6 meses ou 1 ano, pois poucas LCI permitem resgate antes do vencimento — ainda assim, mediante prejuízo ou perda de grande parte da rentabilidade conquistada.

Portanto faça seu planejamento financeiro com calma e informe-se bem sobre as opções disponíveis, pois o melhor investimento será sempre aquele que você fará com confiança.

Gostou do post? Gostaria de compartilhar alguma informação sobre o assunto ou esclarecer alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B. Camargo, empreendedor, planejador e educador financeiro, formado em Administração de Empresas, certificado como Agente Autônomo de Investimentos pela CVM (2012), pelo Programa de Qualificação Operacional - PQO, como Profissional Financeiro Ambima Serie 20 – CPA 20. Especialista em investimentos e planejamento financeiro, ingressou no mercado financeiro em 2010, com passagens por instituições como Bradesco (Corporate Bank) e XP Investimentos. Trabalha com o intuito de transferir conhecimento aos seus clientes e ajudar a transformar seus objetivos em realidade.