Fundos Multimercados: Conheça 9 Tipos e 5 Vantagens Para Investir Hoje

Fundos Multimercados: Conheça 9 Tipos e 5 Vantagens Para Investir Hoje

By Tatiana Mallmann | Fundos de Investimentos

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

dez 22

Se você tem um capital acumulado, perfil moderado e gosta de aproveitar todas as oportunidades que o mercado financeiro oferece, os fundos multimercados podem ser uma boa solução! Hoje você conhecerá melhor essa modalidade de investimento, saber se ela se encaixa em seu perfil e ver como começar a aplicar!

Os fundos multimercados são fundos que podem mesclar, a depender da sua categoria, investimentos em diversos ativos, como ações, renda fixa (CDB, títulos públicos e privados), câmbio e derivativos (contratos derivados de outros ativos e com vencimento futuro). São indicados a quem busca melhores retornos e tem um horizonte de investimentos de médio prazo (acima de 2 anos) e quer mais do que simplesmente proteger seu patrimônio (como ocorre na aplicação de fundos de renda fixa, por exemplo) e prima pela diversificação para assim diminuir os possíveis riscos.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar o [EBOOK] Fundos de Investimentos. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Neste ebook você vai poder compreender mais afundo sobre o assunto deste artigo com estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Vantagens dos Fundos Multimercados

Diversificação

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) dividiu os fundos em 4 classes: renda fixa, ações (fundos com, no mínimo, 67% da carteira em ações), cambiais (mínimo de 80% da carteira em ativos ligados a moedas) e multimercados(com maior flexibilidade por conta do gestor). Esses últimos são, sem dúvida, os de maior amplitude (alcançam qualquer oportunidade que seja analisada como interessante pelo gestor, desde que este nas regras de aplicação que o fundo pode ter).

Flexibilidade

A depender do tipo de fundo multimercado escolhido, o gestor não precisa seguir uma única estratégia de investimento, como acontece por exemplo nos fundos di e de renda fixa. Ou seja, ele direciona sua atuação de acordo com as peculiaridades de cada ativo e do momento econômico vigente.

Alavancagem

A maioria dos Fundos Multimercados permite alavancagem (operação com recursos superiores ao valor do capital aplicado), com o objetivo de maximizar o potencial de rentabilidade de sua carteira ou na grande maioria dos casos como uma forma de proteger os recursos de uma mudança adversa a estratégia montada pelo gestor anteriormente, como uma forma de não ter prejuízos, mais isso não é uma regra, até porque os principais fundos multimercados para quem está começando a conhecer esta categoria de fundos são os Fundos de Crédito Estruturado onde normalmente investem 100% dos títulos adquiridos pelo fundo são de crédito privado (renda fixa).

Gestão feita por um Especialista

A flexibilidade desses fundos permite que o gestor da carteira (especializado nesse tipo de investimento) ajuste suas estratégias rapidamente, de acordo com as mudanças de cenários (inclusive alguns podem investir no exterior). E em um momento de incertezas, deixar seu dinheiro em um fundo passivo, que não acompanha o mercado, não traz nenhum crescimento patrimonial significativo, ou dependendo do tipo de investimento que você fizer, você pode até estar perdendo dinheiro. A supervisão de um profissional com expertise em fundos garante maior tranquilidade ao investidor e maior chance de retorno.

 

Riscos Envolvidos na operação

De acordo com Harry Markowitz, Nobel de Economia (1990) e considerado o pai da Teoria Moderna do Portfólio, “o risco de uma carteira de investimentos (multifacetada) é menor do que a média ponderada de cada ativo da mesma carteira”. Assim, a potencial diversidade de ativos a ser trabalhada em um fundo como o multimercados torna-o menos arriscado do que outras aplicações mais homogêneas.

Em resumo ele quer dizer que o potencial da relação risco x retorno de um investimento diversificado como acontece nos Fundos Multimercados lhe garante um retorno maior ao longo do tempo e com menor risco. Ou seja, pra quem tem prazos acima de 2 anos os Fundos Multimercados são uma excelente opção de investimento.

Estes fundos envolvem distintos fatores de risco, a depender da configuração da carteira montada. O nível de risco, na verdade, será inversamente proporcional ao talento do gestor, já que a leitura precisa do cenário econômico, a escolha dos melhores ativos, a decisão sobre percentual do patrimônio alocado em cada título e a experiência de mercado na administração, são detalhes preponderantes no resultado desse tipo de aplicação. Em suma, quem quer aplicar nesses fundos, deve, antes de tudo, buscar a orientação de quem tem experiência no mercado. A supervisão de profissionais confere a esse investimento uma ótima relação risco x retorno.

Você já conversou com um assessor de investimentos para entender se este tipo de investimentos faz sentido para o seu perfil e para o seu planejamento de longo prazo ?

Tributação dos Fundos Multimercados

A tributação nos fundos multimercados pode variar de acordo com o tipo de fundo de investimento, sendo ele de longo prazo ou de curto prazo.

Os fundos que forem classificados como longo prazo deverão incluir obrigatoriamente a expressão “longo prazo” no nome do fundo e atender as condições previstas na regulamentação.

Fundos de longo prazo são aqueles que mantém uma carteira média com prazo superior a 365 dias. Para esses fundos, a tributação é igual aos fundos de renda fixa, isto é, decrescente em função do prazo da aplicação

  • Aplicações de até 180 dias: 22,5% (somente sobre os rendimentos)
  • Aplicações de 181 a 360 dias: 20% (somente sobre os rendimentos)
  • Aplicações de 361 a 720 dias: 17,5% (somente sobre os rendimentos)
  • Aplicações acima de 720 dias: 15% (somente sobre os rendimentos)

Nessa classificação de fundos multimercados, há a incidência do come-cotas, a uma alíquota de 15%, cobrados a cada 6 meses (maio e novembro).

Já os fundos multimercados classificados como “curto prazo” (e assim descrito no nome do fundo), são aqueles que mantém uma carteira com prazo médio igual ou inferior a 365 dias. Neste caso, o imposto será cobrado da seguinte maneira:

  • Aplicações de até 180 dias: 22,5% (somente sobre os rendimentos)
  • Aplicações de 181 a 360 dias: 20% (somente sobre os rendimentos)

Nessa classificação, há a incidência de come-cotas, a uma alíquota de 20%

Os fundos multimercados que tiverem como política a aplicação de no mínimo 67% em ações, serão tributados como se fosse fundos de ações, isto é, serão tributados a uma alíquota de 15%, independente do prazo de aplicação. Não há incidência de come-cotas nessa classificação de Fundo.

Rentabilidade e Custos

Com relação aos custos, a taxa de administração é a mais relevante e deve ser analisada com cautela, pois reduz a rentabilidade do fundo. Essa taxa é imprescindível para remunerar os serviços necessários para o seu funcionamento (como gestão da carteira, análise de riscos, distribuição de cotas, etc.). As taxas de administração variam muito entre as administradoras, portanto, é preciso pesquisar e simular o impacto da incidência dos custos sobre a rentabilidade. Fique atento !

 

Tipos de Fundos Multimercados

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) subdivide os fundos multimercados em 10 diferentes tipos, de acordo com a especialidade, a refletir os fatores de risco ou os mercados em que atuarão. Vamos dar uma rápida passada por eles:

Macro

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Definem as estratégias de aplicação baseadas na antecipação de movimentos macroeconômicos que determinem os preços futuros dos ativos, seja este de juros, câmbio, moedas, renda fixa. Suas posições são direcionais e de longo prazo.

Multiestratégia

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Focados na adoção de múltiplas estratégias, sem o compromisso de adotar uma em particular. As decisões de investimento são baseadas em uma profunda análise global de risco e retorno, considerando tanto o ambiente macroeconômico, como a situação dos ativos em si mesma.

Multigestor

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Investimento em mais de um fundo, gerido por gestores diferentes. O objetivo aqui é dar maior especialização na gestão de cada ativo, fortalecendo as possibilidades retorno positivo.

Trading

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Esses fundos exploram oportunidades de ganhos originadas por movimentos de curto prazo nos preços dos ativos.

Long & Short – Direcional

  • Risco: renda variável
  • A estratégia nessa modalidade é montar posições compradas e vendidas simultaneamente. Por exemplo, o gestor compra ações de uma empresa subvalorizada (esperando que os preços subam); ao mesmo tempo, vende as ações de outra (o famoso “operar vendido”), cuja tendência de alta parece ter alcançado o limite, dando indícios de iminentes correções. A ideia é vender primeiro para comprá-las quando os preços caírem, gerando lucro em uma operação inversa (primeiro vende e depois compra).

Long & Short – Neutro

  • Risco: renda variável
  • Assim como no caso anterior, há também posições compradas e vendidas simultaneamente. A diferença aqui é que o objetivo é garantir exposição neutra ao mercado, ou seja, trata-se de uma operação mais cautelosa do que a especialidade anterior.

Juros e moeda

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Estratégia de longo prazo ligada ao investimento em ativos de renda fixa atrelados ao risco de juros, índice de preços e moeda estrangeira.

Estratégia específica

  • Risco: diversas classes de ativos
  • Focados no desenvolvimento de estratégias ligadas a riscos específicos, tais quais índices e commodities.

Balanceados

  • Risco: diversas classes de ativos (não há alavancagem)
  • Voltados para o longo prazo. Nessa estratégia, os fundos buscam investimentos diversificados e deslocamentos táticos entre inúmeros ativos, montando uma estratégia definida de rebalanceamento de curto prazo. Não obstante, esses fundos devem deixar claro o mix de ativos com o qual devem ser comparados, devendo ser determinado o percentual a ser aplicado em cada classe de ativo.

Capital Protegido

  • Risco: diversas classes de ativos (não há alavancagem)
  • Embora busque rentabilidade, a atenção total dessa estratégia se conecta à proteção (hedge) total ou parcial do principal investido.

Crédito Estruturado (#Bônus)

  • Risco: Renda Fixa (não há alavancagem)
  • investem em ativos de crédito estruturado e operações de securitização, FIDCs de lastros diversos, títulos e valores mobiliários como debêntures, letras financeiras, DPGEs, dentre outros e são uma ótima oportunidade para quem está começando com Fundos Multimercados.

A alta inflacionária está corroendo seu capital? Então saia do lugar-comum e busque novas modalidades de investimento, como os fundos multimercados, bem como a orientação de quem é capaz de lhe fornecer o acompanhamento que você precisa para crescer com solidez! Até a próxima!

Ah e não esquece de baixar o [EBOOK] Fundos de Investimentos.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

About the Author

Tatiana Mallmann, é formada em Administração de Empresas. Ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Como empreendedora e educadora financeira, trabalha para ajudar pessoas e famílias a obter tranquilidade financeira.