Como Montar uma Carteira Diversificada de ETFs no Exterior?

Como Montar uma Carteira Diversificada de ETFs no Exterior?

By Jonathan Camargo

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Como montar uma carteira diversificada de ETFs?

Os ETFs são fundos que cumprem a missão de diversificar uma carteira de investimentos com o ingresso em bolsa de valores, mas com certa limitação de riscos. Os ETFs nada mais são do que fundos baseados em índices — mas não os próprios índices negociados diretamente em bolsa de valores, tais como ocorre com as ações. O ideal é que se invista em ETFs tanto no Brasil quanto no exterior, ainda mais se considerarmos que, internamente, as empresas componentes da bolsa de valores não estão apresentando bom desempenho.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar o [EBOOK] Investimentos no Exterior. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Neste ebook você vai poder compreender mais afundo sobre o assunto deste artigo com estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Nosso principal índice, o Ibovespa, também está em torno de 50 mil pontos já faz alguns anos, embora alguns papéis tenham obtido bons resultados no mesmo período. Se você não conhece ou se não tem todo o conhecimento sobre ETFs, confira este post e fique por dentro!

 

O que são ETFs?

Não somente na bolsa de valores brasileira, mas em todas as bolsas mundiais, os índices servem para medir a valorização de um grupo de ativos conforme o tempo vai passando. As ETFs são fundos baseados em índices, em que o investidor não precisa comprar diversas ações distintas para investir nelas.

Com isso, uma parte da carteira de investimentos pode ser direcionada a investir em ETFs e o investidor passa a obter resultados de acordo com esse índice de referência, o qual pode ser de todas as ações de uma bolsa ou de apenas um setor da economia que componha um índice específico, assim como temos o Índice de Governança Corporativa (IGC) na bolsa de valores brasileira, referindo-se a empresas que tenham boas práticas de governança como diferencial competitivo.

ETFs no mundo

No Brasil, os ETFs não são formas muito convencionais de investimentos, assim como não o são em economias em desenvolvimento. No entanto, em economias mais fortes, eles são muito difundidos, como é o caso dos Estados Unidos onde, desde 1993, são negociados livremente no mercado de capitais. No Brasil, o primeiro ETF foi lançado só no ano de 2004.

Quando se investe em ETF, o principal chamariz é o baixo custo e a possibilidade de se investir, com uma única aplicação, em vários setores distintos da economia de uma só vez. Deixa-se de lado a preocupação de escolher quais papéis deverão ser adquiridos, pulverizando os investimentos e garantindo diversificação.

Como é composto um ETF?

A carteira de ETF tem o objetivo de fazer os investidores ingressarem na bolsa com risco reduzido, afinal de contas, uma carteira bem diversificada deve ter investimentos em ações. Agora, já pensou em poder investir em empresas de fora do Brasil por meio de uma ETF? Saiba que isso é possível!

Comparativamente com os fundos de ações, os ETFs têm menores custos e em terras estrangeiras são os preferidos quando o assunto é diversificação. Inclusive, no exterior elas não são compostas apenas de ações, pois alocam valores em títulos de crédito privado, dívidas públicas, fundos imobiliários, em setores como saúde, tecnologia, infraestrutura, energia, etc.

Por meio dos ETFs, pode-se investir nas empresas mais rentáveis do mundo, tais como Apple, Amazon, entre outras com a mesma facilidade com que se compra uma cota de fundo de investimento no Brasil.

Fora do país, os investimentos em ETFs são tão comuns para se obter uma carteira diversificada que já são os mais sugeridos pelos serviços automatizados de investimento, aqueles também chamados de robôs, que analisam o cenário com base em algoritmos matemáticos e indicam boas oportunidades aos investidores.

Vantagens de investir em uma ETF

Se você é um investidor pensando em diversificação, veja algumas das vantagens de se investir em ETFs:

  • Diversificação garantida: como um ETF é composto de várias ações ao mesmo tempo, garante ao investidor a possibilidade de minimização de riscos e otimização de ganhos;
  • Redução de custos: se for realizada a compra de cada ativo adquirido, os custos seriam respectivos para cada papel. Isso poderia comprometer a rentabilidade do investimento, pois os emolumentos e a taxa de corretagem influenciariam negativamente. Ainda há a preocupação de acompanhar cada papel para saber o momento exato de vender cada um;
  • Liquidez: como são negociadas diretamente na bolsa de valores como se fossem ações propriamente ditas, a qualquer momento a liquidação do investimento pode ser realizada. Se o seu patamar de rentabilidade for alcançado, a qualquer momento pode ser dada a ordem para a liquidação do ETF;
  • Aquisição simplificada: criar uma carteira própria é trabalhoso e investir em ativos estrangeiros é mais complicado ainda. No entanto, é possível investir em empresas como Microsoft e ExxonMobil com a utilização de ETFs.

Depois de ver as características e algumas vantagens, vamos ver alguns exemplos de ETFs e em que índices ou mercados eles se baseiam.

Como montar a sua carteira de ETFs

O maior ETF do mundo é o SPDR S&P 500 ETF, negociado em Nova Iorque, que segue o índice S&P 500, composto por 500 das maiores companhias norte-americanas, espalhadas por 25 setores diferentes. Diferente da composição do mercado de capitais brasileiro, as principais ações dos Estados Unidos não são dependentes de commodities, o que torna o investimento muito mais atrativo — elas são a Amazon e a Apple, duas das principais ações do S&P 500.

Outro exemplo de ETF que investe também no Brasil é o Vanguard FTSE Emerging Markets, também negociado na bolsa de valores de Nova Iorque. Esse ETF é composto de praticamente mil ações de empresas que estão em economias emergentes, tais como Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul, México, Malásia e outros. Mesmo estando com o dinheiro fora do país, uma parte dos seus investimentos ainda poderão ser investidos em terras nacionais.

Por último, há o Tracker Fund of Hong Kong, negociado na bolsa de valores de Hong Kong. Ele faz a linha de ETF clássico e segue o índice Hang Seng, o mais tradicional do território de Hong Kong.

Montar uma carteira realmente diversificada, com investimentos no exterior e limitação de riscos, não é uma tarefa fácil, mas conforme vimos nesse material, basta seguir o caminho certo para deixar seu dinheiro em mercados desenvolvidos e com maior possibilidade de ganhos com investimentos em ETFs do exterior.

Se você quiser saber mais sobre investimentos no exterior, baixe o nosso e-book O guia completo para investimentos no exterior e comente aqui no post se ficou qualquer dúvida sobre o assunto!

 

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B Camargo, Co-Fundador e assessor de investimentos na New York Capital empresa de investimentos que tem como objetivo exclusivo assessorar pessoas físicas de elevado patrimônio, holdings familiares e empresas de participações com alta disponibilidade líquida para investimentos, sempre valorizando a privacidade dos negócios, aliada à solidez da XP INVESTIMENTOS.