Fundos Long Biased - Fundo Multimercado que Rende mais que Ações | Blog London Capital

Fundos Long Biased – Fundo Multimercado que Rende mais que Ações

By Jonathan Camargo

Invista Melhor | Acumular, Rentabilizar e Proteger

Junte-se aos aos nossos milhares de investidores inteligentes e seja o primeiro a receber as nossas novidades e dicas de como acumular mais recursos, rentabilizar melhor seus investimentos e proteger seu patrimônio.

fundos long biased

Os fundos long biased consistem em uma modalidade de fundos de ações. Eles lançam mão de estratégias que lhes permitem ganhar não só com a alta nos preços dos papéis como também com a queda. Ou seja, podem ter ganhos mesmo em momentos de baixa do mercado.

O que é um Fundo Long Biased?

Assim como quaisquer outros fundos de ações, os fundos long biased também precisam manter, no mínimo, 67% da carteira alocada em ações.

Mas enquanto alguns fundos, chamados de long only, mantêm apenas posições compradas – isto é, a compra da ação para ganhar com a sua alta –, os fundos long biased eventualmente também mantêm posições vendidas, que lhes permitem ganhos quando o preço do papel cai.

Dessa forma, os fundos long biased conseguem minimizar perdas ou ter resultados positivos em momentos de mercado em queda ou andando de lado. E mesmo em momentos de alta, podem aproveitar o mau desempenho pontual de uma ação para ganhar mais.

Apesar de serem, em geral, fundos multimercados, ou seja, livres para investir em qualquer ativo, a maior parte de seu patrimônio é investido em ações.

Antes de tudo, vamos nos aprofundar na nomenclatura da estratégia para entender melhor o que ela é.

“Long” é o nome que se dá em finanças para “compra” ou “comprado”, esperando-se ganhar com a alta do ativo. Daí extraímos que são fundos que operam esperando valorização de ações.

Por outro lado, Biased quer dizer “viesado” em tradução livre ou “algo que tenha tendência”.

É justamente aí que esses fundos se diferenciam dos “apenas comprados” (Long Only).

Os Long Biased têm apenas a tendência de ganharem na alta, porém podem também manter posições vendidas para aproveitar a baixa do mercado.

Vimos que Long Biased consiste em aproveitar tendência de alta de ações, porém conseguindo se proteger de eventuais quedas do mercado.

Os Long Biased diferem ainda dos Long&Short (fundos que mantém necessariamente posições compradas e vendidas de acordo com a o julgamento do gestor), pois eles não têm a obrigação de fazer operações vendidas e podem as fazer apenas quando julgarem apropriado.

Segundo essa excelente matéria do Valor Econômico, os fundos Long Biased estão no meio do caminho entre Long Only com exposição maior e Long&Short com exposição menor. Ou seja, não seguem tão de perto o Ibovespa quanto os primeiros, mas ainda assim acompanham muito mais de perto que os segundos.

Dessa forma, a correlação com o Ibovespa existe para os Long Biased mas é muito mais suave do que nos Long Only, dando maior conforto para o investidor em momentos de queda da bolsa.

Vamos entender agora como é feita a estratégia desses fundos.

Como Funciona um Fundo Long Biased

Lembra que falei acima que os fundos podem aproveitar movimentos de queda do mercado? Pois é, eles também conseguem ganhar dinheiro mesmo quando as ações se desvalorizam por um período.

E isso é possível graças a um mercado chamado de BTC.

O mercado de BTC é o mercado de aluguel de ações. Nele, investidores, muitas vezes de longo prazo e que não tenham interesse em se desfazer de suas ações, as oferecem para alugar (são os doadores). Do outro lado, investidores interessados na desvalorização da ação podem aluga-las por um período (são os tomadores).

Os tomadores ganham da seguinte maneira: vendem uma ação que não possuem antes da queda por, digamos, R$ 100,00 e alugam essa ação por um período. Após a queda se concretizar, compram essa ação por, digamos, R$ 50,00 e a devolvem para o doador. Depois disso pagam uma taxa de R$ 5,00, por exemplo. Assim, ainda embolsaram R$ 45,00 (100 – 50 –5).

Essa operação possibilita, além da proteção contra exposição substancial em tempos de queda, ganhos de curto prazo. Afinal, quando a bolsa cair e muitas ações se desvalorizarem, esses fundos estarão ganhando dinheiro pelo menos em parte da sua carteira.

Dessa forma, esses fundos conseguem ter boa performance mesmo em tempos de baixa.

Aluguel de ações

A estratégia para ganhar na baixa é o aluguel de ações, também chamado de empréstimo de ações. Trata-se de uma operação realizada quando se acredita na desvalorização de um papel.

No aluguel de ações, o dono da ação (doador) empresta seu papel por um determinado prazo para um terceiro (tomador) em troca de uma taxa.

Em geral, o doador é um investidor de longo prazo, que não pretende vender suas ações tão cedo, mas que deseja minimizar eventuais perdas com a queda do seu preço por meio do aluguel de ações. Ao alugar seus papéis ele recebe uma taxa que reduz seu eventual prejuízo.

Já o tomador é um investidor que acredita que aquela ação vai desvalorizar e deseja lucrar como a queda. Ele aluga as ações do doador e as vende no mercado. O objetivo é recomprá-las a um preço mais baixo após a desvalorização para, então, devolvê-las ao doador.

A operação resultará em ganho para o tomador, caso os papéis de fato caiam, ou em prejuízo, caso subam.

O resultado da operação será a diferença entre o preço de venda e o preço de recompra da ação – descontadas, é claro, as taxas, como o aluguel pago ao doador.

Diferenças dos Fundos Long Biased para os Fundos Long and Short

Os fundos chamados de long and short também operam comprados (long) e vendidos (short), sendo capazes de ganhar com a queda do preço dos ativos. Mas eles são diferentes dos fundos long biased.

Os fundos long and short investem em pares de ativos, apostando na valorização de um e na desvalorização do outro. O fundo compra a ação subvalorizada e vende a ação sobrevalorizada, ganhando na diferença.

Com isso, o desempenho do fundo não está tão relacionado ao desempenho da bolsa, mas sim ao desempenho dos ativos uns em relação aos outros. Portanto, esses fundos sempre contarão com uma parcela comprada e outra vendida.

Além disso, a exposição dos fundos long and short à bolsa costuma ser menor que a dos fundos long biased. Alguns dos fundos long and short são classificados como fundos de ações, mas outros são fundos multimercados. Nesses casos, eles podem até mesmo não ter exposição alguma à bolsa, dependendo do momento de mercado.

Já os fundos long biased são fundos de ações, devendo investir no mínimo 67% da carteira na bolsa. Ou seja, eles obrigatoriamente investem em ações e costumam ter uma posição acionária maior que os fundos long and short.

Por outro lado, não necessariamente os long biased terão uma parte comprada e outra vendida. As posições vendidas são montadas quando o gestor acredita que uma determinada ação pode cair no médio prazo.

Mas se não houver tal oportunidade, pode não haver posições vendidas. O desempenho dos long biased está mais relacionado ao desempenho da bolsa que o dos long and short.

Long Biased X Long Only

Tanto os fundos long biased quanto os long only compram ações tomando como base os fundamentos da empresa e as perspectivas de ganho futuro.

Mas os long biased fazem operações vendidas de curto e médio prazo, em oportunidades eventuais. Assim, conseguem turbinar os ganhos e, nos momentos de mercado em baixa, aplacar as perdas ou mesmo conseguir um desempenho total positivo.

Isso confere aos fundos long biased maior flexibilidade em relação aos fundos long only, que só operam comprados e acabam usando operações com derivativos apenas para minimizar perdas.

Os long biased também tendem a ser menos voláteis que os fundos long only. Isto é, os preços de suas cotas oscilam menos. Assim, em momentos de queda no mercado, eles tendem a cair menos que os demais fundos de ações.

Em contrapartida, em momentos de alta no mercado, eles também tendem a subir menos que os fundos long only. Eventuais parcelas vendidas podem desacelerar a rentabilidade.

É importante notar que as operações vendidas, nos fundos long biased, não são usadas apenas para proteger a carteira das quedas, isto é, fazer hedge. Elas são também utilizadas para buscar ganhos maiores, havendo o risco de perda caso a ação vendida suba.

Os fundos long biased, portanto, são indicados para investidores arrojados, que busquem altos retornos no longo prazo. O indicador de referência para a rentabilidade desses fundos pode ser um percentual fixo acima da inflação ou um índice de bolsa.

Agora que entendemos mais sobre os Fundos Long Biased, vamos às vantagens desse tipo de fundo.

A primeira vantagem já aparece diretamente.

Os fundos Long Biased permitem maior flexibilidade do gestor, especialmente com mercados em queda. Assim, independente do cenário do mercado, os gestores podem buscar lucros de curto prazo com essa estratégia.

Cito também que os Long Biased permitem que a volatilidade dos fundos diminua, pois a sua exposição pode ser consideravelmente diminuída. Ou seja, aquele sobe e desce que você vê com frequência nos fundos de ações mais comuns não acontece de forma tão brusca nos fundos Long Biased.

Outra vantagem interessante que os Long Biased possuem é que, como investem preferencialmente em ações, em alguns casos mesmo sendo multimercados podem ter a tributação de um Fundo de Investimentos em Ações, tendo incidência máxima de 15% de Imposto de Renda, além de serem isentos de come-cotas.

As vantagens dos Long Biased, portanto, são diversas tanto em relação à estratégia quanto em relação à tributação.

Em relação à estratégia, é sempre bom lembrar que as vantagens só serão alcançadas se o fundo tiver um bom gestor.

Mas essa flexibilidade dos gestores em relação à estratégia, também tem um contraponto. Isso nos leva às desvantagens dos Long Biased.

Desvantagens dos Fundos Long Biased

Como a gestão do fundo é bem ativa, temos uma dificuldade maior de mensurar o risco desse fundo.

O investidor pode pensar que ao colocar seus recursos em um Long Biased, pode estar correndo o risco do Ibovespa apenas.

Isso não é necessariamente verdade pois o gestor pode utilizar de diversas operações para ficar “vendido” e não “comprado”. É difícil determinar que rumo o fundo irá seguir e se o gestor escolher apostar na baixa justo quando o mercado subir pode até gerar prejuízos desnecessários.

Além disso, ao mesmo tempo que a diminuição da volatilidade do fundo é uma vantagem, ela pode torna-se uma desvantagem em momentos de forte alta. Afinal, os Long Biased tendem a aproveitar menos esses cenários do que os Long Only, justamente por parte da sua carteira poder estar apostando na queda do preço de algumas ações.

Dessa forma, a gestão é mais desafiadora e pode jogar contra os fundos Long Biased.

De qualquer forma, esses fundos prometem entregar rendimentos consideráveis.

Por isso, separei dois cases de alguns dos melhores fundos de investimentos dessa categoria que desempenharam bem nos últimos meses.

Melhores Fundos Long Biased

Bom, por mais subjetiva e dependente de perfil que essa pergunta seja, uma coisa é certa: é sempre interessante ter mais opções para diversificar sua carteira.

Além disso, como iniciei o texto citando o bom momento que o mercado de ações brasileiro está passando, os Long Biased também têm surfado nesse momento positivo.

Entre os fundos que mais têm performado nestes últimos meses, dois são Long Biased: o já bastante conhecido Versa Long Biased e o XP Long Biased.

O primeiro está com uma rentabilidade absurda de 150,71% nos últimos 12 meses e 42,42% apenas em 2018 (contra 32,76% e 11,02% do Ibovespa, respectivamente). Observe o gráfico de dois anos comparando o fundo com o Ibovespa.

fundo multimercado versa long biased

Já o XP Long Biased apesar de não ser tão impressionante quanto e Versa e ter perdido para o Ibovespa no ano passado, já acumula 15,11% de valorização em 2018, 4,09 p.p. acima do Ibovespa.

Além disso, olhando para o gráfico de 2 anos, é possível notar que ele esteve consistentemente acima do Ibovespa no período.

fundo xp long biased

Versa Long Biased FIM Vs. XP Long Biased FIM

Vale se atentar ao risco de cada fundo antes de investir (ver em vermelho), enquanto o fundo XP Long Biased, possui menos risco que o Ibovespa e traz um excelente resultado acima do mesmo mesmo em momentos de crise.

Já o Fundo Versa Long Biased FIM, acaba por tomar mais risco para conseguir ter um excelente retorno, no final o segredo disso tudo e entender como alocar em o recurso em sua carteira.

versa long biased fim vs xp long biased fim

 

Conclusão

Os fundos Long Biased estão crescendo bastante e são opções interessantes para investidores que gostam do mercado acionário e busquem aproveitar o momento propicio de ações que estamos vivendo.

Os fundos Long Biased se caracterizam por dar uma flexibilidade interessante para o gestor, logo têm uma gestão ativa de carteira

Assim, o que fica evidente é que é preciso procurar uma boa gestora para potencializar ao máximo as vantagens que a estratégia Long Biased proporciona e ao mesmo tempo acomodar as desvantagens que podem ocorrer.

E se ficou com alguma dúvida adicional ou quer contribuir mais com o assunto, comente abaixo!

Quer Receber Mais Conteúdos Como Este?

Junte-se aos aos nossos milhares de investidores inteligentes e seja o primeiro a receber as nossas novidades e dicas de como acumular mais recursos, rentabilizar melhor seus investimentos e proteger seu patrimônio.

Follow

About the Author

Jonathan B Camargo, Co-Fundador do Blog London Capital e assessor de investimentos na New York Capital empresa de assessoria de investimentos que tem como objetivo exclusivo assessorar pessoas físicas de elevado patrimônio, holdings familiares e empresas de participações com alta disponibilidade líquida para investimentos, sempre valorizando a privacidade dos negócios, aliada à solidez da XP INVESTIMENTOS.