Fundos Multimercado Long and Short Direcional e Neutro - Ganhe na Instabilidade da Bolsa de Valores | Blog London Capital

Fundos Multimercado Long and Short Direcional e Neutro – Ganhe na Instabilidade da Bolsa de Valores

By Tatiana Mallmann

Invista Melhor | Acumular, Rentabilizar e Proteger

Junte-se aos aos nossos milhares de investidores inteligentes e seja o primeiro a receber as nossas novidades e dicas de como acumular mais recursos, rentabilizar melhor seus investimentos e proteger seu patrimônio.

fundos long short

Os fundos multimercados Long and Short, segundo dados do último relatório mensal da  Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) mostraram o bom desempenho que esta modalidade de fundos ainda pouco conhecida dos investidores, mas que se beneficia de momentos de grande volatilidade do mercado.

O que é  Long & Short?

Recebemos perguntas sobre como realizar uma operação de Long & Short, então hoje vou explicar o passo a passo para montagem.

Para quem ainda não conhece essa estratégia, vou explicar:

– O investidor busca retornos pela diferença de performances entre duas ações. Ele espera que a ponta comprada (chamada de “long”) tenha oscilações em seus preços mais favoráveis do que a ponta vendida (chamada de “short”). O interessante nesse investimento é que ele independe da direção da bolsa

long short o que é

Possíveis cenários de resultados com lucro:

a) As duas ações se valorizaram, mas a posição long se valorizou mais;

b) As duas ações se desvalorizaram, mas a posição long se desvalorizou menos; ou

c) A posição long se valorizou enquanto a short se desvalorizou.

Como Montar uma Operação Long and Short?

Você deverá comprar uma ação e vender outra.

Você deve estar se perguntando: “Como eu posso vender uma ação sem possuí-la?”.

Resposta: alugando as ações de outro investidor.

Para isso é necessário que haja uma contraparte (pessoa física, fundo, clubes de investimento) que tenha essas ações em custódia e não pretenda vender no curto prazo. Assim, ela as dispõe para aluguel e recebe uma taxa de retorno pelo empréstimo. Essa taxa é anual, pro rata ao período do contrato e acertada no início. Esse investidor é chamado de DOADOR do aluguel.

Já o investidor que pretende pegar emprestado as ações para vendê-las é chamado de TOMADOR. Ele deverá entrar em contato com sua corretora para verificar a disponibilidade dos papéis para aluguel. Algumas corretoras até já oferecem essa ferramenta no home broker.

Esse sistema de Empréstimo de Ativos, chamado BTC, é seguro e controlado pela BM&FBovespa.

O tomador irá escolher a oferta doadora que melhor atenda às suas necessidades (quantidade de papéis, taxa, prazo e modalidade). E precisará deixar um valor em dinheiro ou em ativos que ficará bloqueado na corretora, como garantia do contrato de aluguel, até que liquide a operação.

 

O que são Fundos Multimercados Long and Short Direcional e Neutro?

Trata-se de fundos que investem em pares de ativos do mesmo setor, mas acreditando na valorização de um e na desvalorização do outro.

A ideia é você operar no valor relativo entre dois ativos. ‘Long’ é quando o fundo está comprado no ativo e ‘Short’ é quando está vendido no outro ativo.

O fundo compra um ativo que está subvalorizado e vende outro que está sobrevalorizado, ganhando nessa diferença ente esses ativos.

Long Short Neutro

Fundos que fazem operações de ativos e derivativos ligados ao mercado de renda variável, montando posições compradas e vendidas, com o objetivo de manterem a exposição financeira líquida limitada a 5%.

São exemplos desse tipo de fundo:

  • XP Long Short FIC FIM;
  • Claritas Long Short FIM
  • Gap Long Short FIM.

Long Short Direcional

Fundos que fazem operações de ativos e derivativos ligados ao mercado de renda variável, montando posições compradas e vendidas.

O resultado deve ser proveniente, preponderantemente, da diferença entre essas posições.

São exemplos desse tipo de fundo:

  • Kondor Long Short FIM;
  • Perfin Long Short 15 FIC de FIM;
  • Moat Capital Equity Hedge FIC FIM

 

Vale a Pena Investir em Fundos Long and Short?

O perfil do investidor para este tipo de aplicação não precisa ser necessariamente agressivo, mas um pouco mais ‘educado’ pois trata-se de uma operação mais complexa. É necessário ter uma noção de como o fundo funciona, para gerenciar sua própria ansiedade. O investidor deve alocar nesse fundo uma fração daquilo que já é destinado para a renda variável.

Neste tipo de fundo é possível ganhar mesmo quando o ativo em se que está comprado aponta desvalorização, desde que ela seja menor do que a retração marcada pelo ativo em que se está vendido.

Os fundos são compostos por vários pares, uma ação contra outra, ou podem ser de setores contra setores, como também podem ser de carteira contra índice, neste caso quando sua posição vendida é um índice.

Como esse spread entre os ativos, que determina o momento de ‘trocar’ de posições, é calculada pelo gestor do fundo?

Há duas formas: estatisticamente, analisando séries históricas de variações dessas empresas, deixando de lado impactos sazonais, como resultados; ou por meio da análise fundamentalista, avaliando os fundamentos da empresa e os detalhes de cada companhia e do setor.

O interessante dos fundos Long & Short é que eles independem do movimento direcional bolsa, pois o gestor isola o componente que lhe interessa, ou seja, a relação entre os ativos escolhidos. O gestor estabelece uma meta a partir de determinado cenário e quando chega próximo, ele inverte suas posições.

Por sua vez, a taxa de administração e o investimento inicial em fundos como estes podem variar bastante no mercado, valendo fazer uma pesquisa antes de aplicar.

No site “Como Investir”, também da Anbima, é possível consultar fundos desta modalidade, inclusive comparando taxas de administração, aporte inicial, rentabilidade passada entre outros aspectos muito relevantes na hora de tomar uma decisão.

Por lá, foram encontrados fundos com aportes iniciais que variam de R$ 1 a R$ 100 mil, além daqueles que não fixam valores mínimos para o primeiro aporte. É importante ficar atento ao item “aporte adicional”, que determina o valor das aplicações subsequentes, podendo variar nos mesmo moldes do investimento inicial. Por fim, as taxas de administração vão de 0% a 4% ao ano.

Além de avaliar tudo isso, é importante pesquisar a performance do fundo pelo maior período possível, pelo menos dois anos, e sua consistência, bem como o histórico do gestor.

Diferenças entre L&S Neutro e L&S Direcional

O fundo Long & Short Neutro é aquele que investe em pares de ativos com a mesma posição financeira no comprado e no vendido. Assim o investidor está neutralizado, estabelecendo uma baixa correlação com o mercado.

Quando valores diferentes são aportados nas operações de compra e venda, há uma tomada de direcionamento por parte do fundo e do gestor, que acredita em determinado movimento do mercado, este é o Long & Short direcional.

Fundos de Ações: Long only, Long and Short e Long Biased, você sabe a diferença?

Os fundos de ações são fundos de renda variável que apresentam maior volatilidade e possuem como seu principal benchmark o índice Ibovespa, mas apresentam algumas categorias que os diferencia, como o long only, long and short e o long biased.

Os fundos long only somente podem operar na ponta compradora de ações e apostam na alta e na valorização das ações adquiridas. São obrigados a estar investido sempre em 67% do patrimônio em ações e esses fundos são mais recomendados em tendências e cenários de alta do mercado de ações.

Os fundos long and short tratam-se de fundos que investem em pares de ativos, mas acreditando na valorização de um e na desvalorização do outro. Long é quando o fundo está comprado no ativo e short quando está vendido em outro ativo. O fundo compra a ação que está subvalorizada e vende outro que está sobrevalorizada, ganhando nessa diferença. Esses fundos independem do movimento direcional da Bolsa, pois o gestor escolhe a relação entre os ativos que lhe interessa.

Os long biased, à primeira vista, lembram os fundos Long & Short, pela possibilidade de ter posições compradas e também posições vendidas em ações. Os “LB” têm a maior parte do seu capital aplicado na compra de ações e tendo uma correlação significativamente maior com a bolsa que os “LS”.

Enquanto nos “LS” sempre existe uma parcela comprada e outra vendida, já nos Long Biased pode não haver nenhuma parte vendida. Portanto, se o gestor acreditar que o mercado está em uma tendência clara de alta e não encontrar ações que acredita na desvalorização, ele pode ficar sem nenhuma posição na ponta vendedora.

Não podemos dizer que um fundo seja melhor que o outro, mas que cada um tem uma estratégia e que cada um pode se encaixar melhor em determinados períodos ou perfis de investidores. Numa carteira de investimentos pode-se mesclar 2 ou até 3 os tipos de fundos.

Quando investir em Fundos Multimercado Long and Short?

Assim como os Fundos Multimercado Juros e Moedas, estes fundos quando são do tipo Long and Short Neutro, são uma alternativa ainda mais apimentada aos Fundos de Renda Fixa tipo Renda Fixa, obviamente eles não podem fazer a substituição completa destes fundos, pois tem um perfil de Risco e Volatilidade muito maior e também não podem ser utilizados por investidores com Perfil de Investidor que não contemple ativos de Renda Variável.

Resumindo, quando o seu Perfil de Investidor não contemplar Renda Variável, você não deve investir neste tipo de fundo, se o seu perfil contempla ativos de Renda Variável, então você pode investir tanto nos fundos Neutro como Direcional.

Os fundos do tipo Neutro, podem ser usados para substituir uma parcela da alocação de Renda Fixa, que é uma composição entre: Fundos DI, Fundos Renda Fixa, Fundos de Crédito e de Inflação.

Os Fundos do Tipo Direcional, fazem o papel contrário, e podem ser usados para diminuir a volatilidade e risco de uma Carteira Sugerida como substituição de Fundos de Renda Variável mais agressivos como por exemplo Fundos de Ações.

 

 

 

Quer Receber Mais Conteúdos Como Este?

Junte-se aos aos nossos milhares de investidores inteligentes e seja o primeiro a receber as nossas novidades e dicas de como acumular mais recursos, rentabilizar melhor seus investimentos e proteger seu patrimônio.

About the Author

Tatiana Mallmann, Co-Fundadora do Blog London Capital, formada em Administração de Empresas, ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Especialista em planejamento financeiro, gestão de risco, proteção do ativo humano, blindagem de patrimônio e sucessão empresarial.