Você tem inteligência emocional para ser um investidor?

Você tem inteligência emocional para ser um investidor?

By Jonathan Camargo

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Você tem inteligência emocional para ser um investidor?

Já falamos aqui no blog sobre a importância de conhecer seu perfil como investidor como um pré-requisito para que você comece a investir. Mas mais do que simplesmente classificar seu perfil como conservador, moderado, ou dinâmico, é imprescindível se certificar de que você tem a inteligência emocional necessária para ser um investidor.

Antes de seguir lendo este artigo quero te convidar a baixar um dos nossos [EBOOKs LONDON] link aqui. É um PDF para download gratuito que será enviado diretamente para sua caixa de e-mail. Os assuntos são variados, desde aposentadoria a investimentos específicos, através destes conteúdos, procuramos passar estratégias e dicas práticas para você usar no dia-a-dia como investidor.

Se você ainda não baixou faça agora, neste link.

Na prática, o que isso significa? Confira:

O que é inteligência emocional?

Inteligência emocional é a forma com que as pessoas conseguem gerenciar suas emoções, de modo a garantir o sucesso de esforços pessoais e profissionais. Muitas vezes, ter inteligência emocional chega a ser mais importante que o conceito clássico de inteligência (Q.I.), associado somente à razão.

Por meio de uma boa gestão de sentimentos, impulsos, vontades e objetivos, sejam eles nossos ou de outros profissionais com quem trabalhamos, é possível atingir resultados mais satisfatórios no dia a dia.

Como ela se aplica ao mundo dos investimentos

Inteligência emocional é muito importante para investidores. Diversas situações requerem esse tipo de gerenciamento de sentimentos e anseios, seja antes de se decidir por uma aplicação ou no momento de colher os frutos desse investimento. É preciso controlar impulsos e equilibrar seus sentimentos com dados estatísticos, séries históricas e análises de planejadores financeiros.

Ser um investidor requer pensamento positivo

Investimentos também têm mais chances de sucesso quando você pensa positivamente. Não que o pensamento positivo em si vai afetar o desempenho de uma determinada aplicação, mas ele te ajuda a perceber o investimento como algo de longo prazo, que, depois de um tempo mínimo, renderá bons frutos para você e sua família.

Planejamento é essencial

A inteligência emocional do investidor também requer que ele tenha a objetividade e o distanciamento necessários para realizar um bom planejamento financeiro. Ao definir seus objetivos financeiros, é preciso ser realista, controlar a impaciência natural de querer o lucro rápido e sem riscos, bem como estabelecer metas que estejam dentro de seu alcance em termos patrimoniais.

Flexibilidade e autocontrole para lidar com situações inesperadas

O investidor precisa se flexível o suficiente para lidar com situações inesperadas sem se desesperar, desistir de seus investimentos e arriscar tudo o que construiu. Muitas vezes, em períodos de crise e flutuações econômicas.

Além disso, é preciso ter autocontrole nesses momentos para evitar decisões por impulso. O investidor precisa pensar bem antes de agir, refletir sobre as diferentes opções, riscos e probabilidades. Atos de impulso podem prejudicar a solidez de seu portfólio de aplicações, porque as emoções não podem guiar decisões financeiras. Ignorar esses instintos de sobrevivência e de proteção do patrimônio é tão difícil que muitos investidores simplesmente desistem desse tipo de atividade.

Aprenda a gerenciar riscos e se manter motivado

Outro aspecto importante da inteligência emocional diz respeito ao gerenciamento de riscos nos seus investimentos. Para colocar isso em prática, além de contar com a ajuda de uma boa equipe de profissionais de planejamento financeiro, é preciso também conhecer seu perfil como investidor, saber quais são exatamente os riscos que você está disposto a correr e manter-se motivado mesmo diante de prejuízos.

Eventualmente, perdas financeiras acontecem, mas um bom portfólio de investimento permite que essas perdas sejam absorvidas pelos rendimentos de outras aplicações. Ver o lado positivo de um leque diversificado de investimentos é uma das formas de se manter motivado, com sede de aprendizado sobre o mercado financeiro e interesse genuíno em fazer escolhas mais estratégicas no futuro.

Agora que você já sabe exatamente como ter a inteligência emocional necessária para ser um investidor, que tal colocar esses aspectos em prática em seu cotidiano de aplicações? Ainda tem dúvidas sobre esse tema? Deixe aqui nos comentários! Participe!

Ah e não esquece de baixar um dos nossos [EBOOKs LONDON] link aqui.

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

Follow

About the Author

Jonathan B. Camargo, empreendedor, planejador e educador financeiro, formado em Administração de Empresas, certificado como Agente Autônomo de Investimentos pela CVM (2012), pelo Programa de Qualificação Operacional - PQO, como Profissional Financeiro Ambima Serie 20 – CPA 20. Especialista em investimentos e planejamento financeiro, ingressou no mercado financeiro em 2010, com passagens por instituições como Bradesco (Corporate Bank) e XP Investimentos. Trabalha com o intuito de transferir conhecimento aos seus clientes e ajudar a transformar seus objetivos em realidade.