Investimento inicial: 5 passos para sair com o pé direito | London Capital | O Seu Melhor Investimento

Investimento inicial: 5 passos para sair com o pé direito

By Tatiana Mallmann | Assessoria de Investimentos

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

abr 13

Em 2015, pela primeira vez, em 13 anos, a poupança perdeu para a inflação, o que significa que quem achou que fazia um bom negócio deixando suas economias na caderneta, empobreceu um pouco mais no ano que se passou. Se você é uma dessas pessoas e não quer repetir o erro do ano passado, vale a pena acompanhar, nas linhas abaixo, um passo a passo para começar a investir e multiplicar seu patrimônio com segurança e solidez, escapando de uma vez por todas da escuridão da poupança! Mude seu futuro através da mudança de suas concepções no presente! Vamos às dicas para consolidar seu investimento inicial!

1) Fixe um valor mensal para aplicações

Não sabe como montar uma carteira de investimentos de sucesso? O primeiro passo é definir quanto dos seus rendimentos será destinado às aplicações. E, uma vez delineado o montante, este deve ser direcionado mês a mês, de forma religiosa, mantendo a regularidade na construção de seu patrimônio. Aqui, estamos falando mais do que em disciplina; os investidores de sucesso têm uma ideia fixa pela multiplicação de seu capital, então, nada de esmorecer!

O ideal é que sejam destinados, no mínimo, 20% da sua renda mensal, que serão utilizados para montar sua carteira. Todavia, esse percentual varia muito de acordo com as peculiaridades de cada investidor. Quanto maior sua disponibilidade de recursos, mais chances de diversificação de ativos e, com isso, maior chance de retorno.

2) Contrate a segurança e experiência de mercado de um planejador financeiro

Nos Estados Unidos, 91% da população investem com o auxílio de assessores de investimentos ou planejadores financeiros. No Brasil, a desbancarização é uma tendência, mas ainda gradual, haja vista que a falta de educação financeira de berço fez com que muitos brasileiros descobrissem apenas recentemente que aplicação financeira e bancos não combinam. De toda forma, algumas economias devem ser feitas; outras não valem a pena e acabam resultado em prejuízos muito maiores do que o que queria se economizar. É o caso de querer economizar com planejador ou assessor: não vale a pena o risco de se lançar ao mar de peito aberto.

Contrate um profissional de alta experiência no mercado financeiro, que irá ser capaz de, antes de tudo, avaliar seu perfil de investidor, confrontá-lo com seus objetivos, seu capital disponível e, só então, estudar minuciosamente o mercado e identificar as melhores oportunidades, de acordo com seu perfil.

3) Defina, em conjunto com seu assessor de investimentos (ou planejador financeiro), quais são seus objetivos

Se não se sabe para onde está indo, não se chegará a lugar algum. Após ter ao seu lado um profissional da área de alta experiência no mercado, é necessário definir quais serão seus objetivos com as aplicações. Capitalizar sua empresa, formar um patrimônio para a Terceira Idade, chegar ao primeiro milhão antes dos 50, etc. Caso queira saber mais sobre como materializar seus alvos, dê uma olhadinha neste post!

4) Diversifique sua carteira de investimentos

Já ouviu falar naquela frase de vó, “não coloque todos os ovos na mesma cesta”? Pois é isso, se seus avós já lhe disseram isso, parabenize-os pelos seus altos conhecimentos inconscientes de economia e finanças! De fato, apostar todas as fichas no mesmo ativo aumenta consideravelmente os riscos e as chances de lucrar mais podem não compensar o estrago que um resultado inesperado pode causar. Dessa forma, ao diversificar sua carteira, você dilui os riscos, tornando suas operações no mercado financeiro muito menos arriscadas. Fundamental.

5) Estude o mercado financeiro permanentemente

O mercado é volátil e isso você já deve ter percebido. Mas independente dessas flutuações, as opções de investimentos são vastas e cada uma delas é indicada para uma situação e um determinado perfil. Isso justifica a necessidade de se atualizar constantemente e conhecer todas as opções que o mercado lhe oferece, além das novidades em relatórios divulgados por empresas, Banco Central, indicadores macroeconômicos da FGV, etc.

Agora que você já viu por onde começar a investir e como construir as diretrizes para seu investimento inicial, comece desde já a aprofundar seus conhecimentos no assunto, mas não sem antes compartilhar nosso conteúdo nas redes sociais! Sucesso!

 

Quer Aprender a Investir Melhor?

Receba semanalmente dicas exclusivas e ferramentas práticas para ajudá-lo a investir com sabedoria e ganhar dinheiro extra.

About the Author

Tatiana Mallmann, é formada em Administração de Empresas. Ingressou no mercado financeiro em 2006, acumulando experiência em varejo, planejamento financeiro e seguros corporativos em instituições como Banco do Brasil e Confiança Companhia de Seguros. Como empreendedora e educadora financeira, trabalha para ajudar pessoas e famílias a obter tranquilidade financeira.